21:30 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Barack Obama

    Obama demonstra grave falta de conhecimento histórico acerca da Ucrânia

    © AFP 2017/ Jewel Samad
    Mundo
    URL curta
    1362

    Durante entrevista dada ao programa do canal de TV CBS, 60 Minutes (60 minutos), devendo ser exibido nos EUA neste domingo (11), o presidente Barack Obama apresentou uma breve análise sobre sua rivalidade com o presidente russo, Vladimir Putin - ignorando totalmente a recente história da Ucrânia durante o processo.

    "Há um ano atrás, quando fizemos esta entrevista, houve alguma escaramuças entre os Estados Unidos e a Rússia na fronteira ucraniana", disse o jornalista Steve Kroft ao presidente Obama.

    "Você [Obama] disse há um ano que os Estados Unidos — levam a América. Nós somos a nação indispensável. O senhor Putin parece estar desafiando esta liderança".

    É uma declaração que visualmente causou desconforto ao presidente, que imediatamente se esforçou em colocar as afirmações de Kroft em perspectiva.

    Contudo, durante o processo de fazê-lo, Obama parece ter esquecido o que aconteceu na Ucrânia durante sua administração.

    "Quando eu cheguei ao escritório — a Ucrânia era governada por um líder corrupto que era um fantoche de Putin", disse Obama.

    O presidente Obama foi empossado em janeiro de 2009. Todavia ele não menciona o líder ucraniano da época pelo nome, Viktor Yushchenko, que estava no poder.

    O que Obama parece ter esquecido é que Yushchenko é um forte aliado de Washington, que chegou ao poder através dos EUA, que apoiaram a Revolução Laranja. A esposa de Yushchenko, que nasceu e cresceu em Chicago e possuiu cidadania norte-americana até 2005, anteriormente serviu como um funcionária no Departamento de Estado dos EUA, e foi acusada de liderar os esforços norte americanos para ajudar o marido tomar o poder.

    Em outras palavras, Yushchenko está tão longe de ser um "fantoche de Putin" como alguém pode ser.

    Talvez Obama estivesse se referindo a Victor Yanukovych, que foi legitimamente eleito, em 2010, apenas para ser derrubado durante a chamada revolta EuroMaidan (que em ucraniano significa literalmente "EuroPraça"), que também foi apoiada através de esforços do Ocidente.

    Kroft, no entanto, entrou em cena, ajudando o presidente a enfrentar os fatos.

    "[Putin é] um desafio a sua liderança, senhor presidente", disse ele. "Ele está desafiando sua liderança".

    A pré-visualização da entrevista causa curiosidade e interesse em saber se um presidente que se mete tão descaradamente nos assuntos internos de outros países sem inteirar-se dos fatos devidamente não deveria ter visto sua liderança questionada há muito do tempo.

    Mais:

    Crimeia informa: todos recrutadores do Estado Islâmico fugiram para a Ucrânia
    OTAN manterá sua posição sobre Ucrânia apesar da operação russa na Síria
    Ministro: Rússia não concederá qualquer crédito à Ucrânia para pagamento do gás
    Putin: Países europeus devem ajudar Ucrânia a pagar pelo gás russo
    Ucrânia pede restrição do direito de veto no Conselho de Segurança da ONU
    Tags:
    crise ucraniana, tensão, relações bilaterais, OTAN, Steve Kroft, Viktor Yuschenko, Victor Yanukovich, Barack Obama, Vladimir Putin, EUA, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik