02:37 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Hospital do Médicos Sem Fronteiras bombardeado no norte do Afeganistão no dia 3 de outubro, em Kunduz

    Médicos Sem Fronteiras: ataque contra hospital no Afeganistão é crime de guerra

    © AP Photo/ Médecins Sans Frontières
    Mundo
    URL curta
    Afeganistão entre OTAN e Talibã (109)
    132461

    A ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF) reafirmou nesta terça-feira que o recente bombardeio sobre o hospital de Kunduz, no Afeganistão, que causou 22 mortes e 37 feridos, foi um crime de guerra.

    “Este ataque não pode ser deixado de lado com um simples erro ou uma consequência inevitável da guerra. As declarações do governo do Afeganistão de que os talibãs utilizavam o hospital para disparar contra as tropas aliadas implicam que as forças afegãs e norte-americanas que trabalham juntas decidiram destruir um hospital em pleno funcionamento, o que equivale a uma confissão de crime de guerra”, afirmou a presidente da MSF, Joanne Liu, através de uma declaração publicada no site da organização.

    Hospital da ONG Médicos Sem Fronteiras, em Kunduz, no Afeganistão, após o ataque aéreo dos EUA.
    © AP Photo/ Médecins Sans Frontières via AP
    A presidente da ONG destacou que "este ataque afeta o trabalho humanitário em todos os lugares e, basicamente, mina os princípios fundamentais da atividade humanitária".

    Ele acrescentou que "nada pode justificar a violência contra os pacientes, médicos e unidades de saúde".

    O hospital da MSF em Kunduz, no norte do Afeganistão, foi bombardeado pelas forças da OTAN quanto cerca de 200 pessoas se encontravam na ala hospitalar.

    Tema:
    Afeganistão entre OTAN e Talibã (109)

    Mais:

    Rússia condena ataque aéreo dos EUA a hospital no Afeganistão
    OTAN não descarta que possa ter bombardeado hospital no Afeganistão
    Talibã reivindica derrubada de avião de transporte americano no Afeganistão
    Anistia condena 'reino do terror' no norte do Afeganistão
    Tags:
    ataque aéreo, ataque, bombardeio, MSF, OTAN, Kunduz, Afeganistão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik