13:17 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    1502
    Nos siga no

    O presidente russo, Vladimir Putin, e o seu colega norte-americano, Barack Obama, tiveram uma grande discussão sobre a questão ucraniana durante o seu encontro na Assembleia Geral da ONU, mas o presidente dos EUA não teve argumentos suficientes para desafiar a posição de Putin, declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, neste sábado.

    “No início desta semana, na segunda-feira, em Nova York, a Ucrânia foi ativamente discutida durante o encontro (de Putin) com Obama. A coisa mais interessante é que, como eu descreveria, o presidente americano não teve argumentos para desafiar a posição do nosso presidente", disse Peskov durante entrevista a um canal de TV. 

    "Vamos dizer, a discussão foi construtiva, mas não podemos falar em troca de visões que tenham levado ao fortalecimento do entendimento mútuo. Nossos colegas americanos ainda não estão ansiosos para demonstrar flexibilidade". 

    De acordo com o porta-voz do Kremlin, a reunião entre os dois chefes de Estado acabou durando mais do que o previsto, e, além disso, começou antes da hora marcada. 

    "Quanto às conversas, elas foram antecipadas. A situação na Síria é muito tensa. É claro que todos esperavam por uma discussão sobre a Síria, por uma troca de opiniões sobre a Ucrânia… As conversas duraram mais do que o planejado, embora os programas para esses eventos internacionais sejam planejados até o último minuto". 

    Mais:

    Mídia norte-americana: Putin ofuscou Obama na Assembleia Geral da ONU
    Putin: reunião com Obama foi construtiva, mas as divergências continuam
    Putin elogia reunião com Obama e fala em cooperação no combate ao terrorismo
    Tags:
    entrevista, Assembleia Geral da ONU, ONU, Dmitry Peskov, Vladimir Putin, Barack Obama, Síria, Ucrânia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar