08:30 21 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Um soldado iraquiano, do grupo aliado da coalizão ocidental, durante um combate com as forças do Estado Islâmico

    Rússia descarta se juntar à coalizão anti-EI liderada pelos EUA

    © AFP 2019 / HAIDAR MOHAMMED ALI
    Mundo
    URL curta
    0 392
    Nos siga no

    A Rússia não planeja se juntar à coalizão internacional contra o Estado Islâmico, liderada pelos Estados Unidos. A informação foi divulgada pelo diretor do departamento de novos desafios e ameaças do ministro das relações exteriores da Rússia, Ilya Rogachev.

    “É difícil para nós aceitar os princípios que regem esta coalizão. Dificilmente poderemos nos unir sob sua base atual”, disse Rogachev. 

    O diplomata reafirmou que a coalizão "deve agir em conformidade com o direito internacional", isto é, sob a garantia de autorização do Conselho de Segurança das Nações Unidas ou das autoridades sírias.

    Ele também enfatizou que a Rússia poderia considerar a possibilidade de ataques aéreos contra posições do chamado Estado Islâmico no Iraque, se isto for requisitado por Bagdá.

    Aviões das Forças Aeroespaciais russas iniciaram na úiltima quarta-feira, 30, a operação de ataques pontuais contra posições do grupo terrorista Estado Islâmico na Síria. Anteriormente, o Senado russo havia autorizado por unanimidade o uso das Forças Armadas no exterior após o recebimento do respectivo pedido do Presidente Vladimir Putin.

    Mais:

    Usuários do Twitter revelam fotos falsificadas de ações russas na Síria
    CNN: ações de Putin na Síria expõem fraqueza dos EUA
    EUA e aliados europeus violam soberania da Síria enquanto Rússia combate o Estado Islâmico
    Putin: Dados sobre vítimas civis na Síria começaram a surgir antes dos ataques russos
    Aviação russa destruiu sede do Estado Islâmico na Síria
    Tags:
    Estado Islâmico, Vladimir Putin, Ilya Rogachev, EUA, Rússia, Iraque, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar