01:03 19 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    3151
    Nos siga no

    O Junts pel Si (Juntos pelo Sim), coalizão promovida pelo presidente catalão Artur Mas garantiu 64 assentos dos 135 no parlamento regional, de acordo com os dados obtidos na pesquisa de boca de urna.

    Os partidos pró-independência obtiveram mais de 50 porcento dos votos na eleição regional catalã deste domingo (27), segundo divulgado pela agência de notícias local TV3.

    A coalizão é encabeçada pelo partido radical de esquerda pró-independência Unidade Popular, possuidor de 10 assentos no Parlamento regional. Os dois partidos que lideram a frente juntos excedem o número de lugares necessários para a maioria absoluta por seis.

    O partido de centro-esquerda Cidadãos conseguiu 20 assentos, a coalizão de esquerda Catalunha Sim nós Podemos obteve 16 lugares. O Partido Socialista da Catalunha e o conservador Partido Popular da Catalunha garantiram 13 e 12 lugares, respectivamente, segundo divulgado pelas pesquisas.

    Os dados foram divulgados após a entrevista de cerca de 30.000 eleitores.

     

    1- O que as eleições na Catalunha significam para Espanha e Europa

    A Catalunha está definindo neste domingo (27) seus votos para as eleições regionais, fato que vem sendo descrito como virtual referendo sobre a independência da região. As eleições poderiam também potencialmente desafiar a Espanha, bem como a própria Europa, na medida em que representaria um novo Estado sendo o primeiro território a abandonar a União Europeia.

    As eleições regionais da Catalunha deste domingo são consideradas cruciais para o futuro da região dentro da Espanha.

    "Hoje é uma grande vitória para a democracia na Catalunha. Superamos todos os obstáculos colocados pelo governo espanhol. Agora, Catalunha lida com seu próprio destino", disse o líder catalão Artur Mas.

    Até as 13 horas do horário local, a participação nas votações atingiu 35 porcento, de acordo com o site oficial das eleições, superando a taxa de participação registrada anteriormente.

    O presidente da região comprometeu-se a declarar unilateralmente a independência em relação à Espanha se os partidos pró-independência vencerem, mesmo no caso de não reunirem a maioria absoluta dos votos.

     

    2- “Referendo da Independência”

    A Catalunha realizou uma votação não oficial em 2014, na qual mais de 80 porcento dos eleitores decidiram por apoiar a independência. No entanto, por não ser oficial e vinculante, a votação foi questionada, com o governo espanhol inclusive alegando ser ilegal, o que fez dos números de comparecimento às urnas mais questionável.

    Os partidos pró-independência procuram realizar a separação em relação à Espanha no prazo de 18 meses após a eleição. A soberania já foi declarada em 2013.

     

    3- Conflito com a Espanha

    A Espanha anteriormente bloqueou tentativas de referendos pela independência catalã. Ao mesmo tempo, as intenções da Catalunha em declarar unilateralmente sua independência seriam ilegais de acordo com a Constituição da Espanha.

    Por conta disso, alguns na Espanha acreditam que a Catalunha irá tomar medidas mais simbólicas do que efetivas em prol de sua independência.

    "Embora a reeleição do Mas irá testar a unidade do movimento secessionista, os partidos pró-independência vão realizar movimentos simbólicos para [a criação de] um Estado catalão se obtiver uma maioria, prolongando o impasse com o governo central," disse Antonio Varroso, da consultoria de risco Teneo Intelligence, à CNBC.

     

    4- Saída da UE

    As ameaças da Espanha também poderiam potencialmente fazer da Catalunha o primeiro território a deixar a UE. O porta-voz da UE confirmou isso em 2013, em pronunciamento.

    Isto, no entanto, criaria dificuldades não só para a Catalunha, mas também para Espanha e, naturalmente, para a UE. Situada entre a França e a Espanha, a Catalunha é um posto central na economia e no transporte. A Catalunha possui o terceiro porto mais movimentado da Espanha, e o segundo aeroporto.

     

    5- Importância econômica

    A Catalunha é uma das regiões mais ricas da Espanha, com relativamente o menor desemprego em comparação com o restante do país que enfrenta uma elevada taxa de desemprego.

    A economia da Catalunha representa 19 porcento do produto interno bruto espanhol, e apenas 6,3 porcento do território total do país. O PIB per capita também é superior à média nacional. Ao mesmo tempo, os partidos pró-independência dizem que a Espanha recebe mais das receitas fiscais da Catalunha do que traz de volta para a região.

    Enquanto isso, os políticos catalães procuram criar um novo banco central, não deixando claro se pretendem criar uma nova moeda ou continuar a utilizar o euro.

     

    6- Nova liderança

    Artur Mas é considerado um improvável líder para a independência catalã por conta de seu passado de "tecnocrata". Todavia, Mas tem advogado pela independência catalã desde 2007.

    Os partidos pró-independência também buscam mais autonomia cultural da região que faz parte de Espanha de uma forma ou de outra desde 1137. O atual conflito da Catalunha com o governo espanhol remonta à discussão sobre um novo Estatuto de Autonomia, o qual foi aprovado em 2006, e que ampliou os direitos da região referentes à sua autonomia.

    Mais:

    Há um mal-estar objetivo na Catalunha
    Independentistas da Catalunha são acusados de quererem anexar França e Itália
    Catalunha pode proclamar independência sem avisar Espanha
    Nenhum tribunal espanhol impedirá independência da Catalunha, dizem independentistas
    Tags:
    independência, referendo, eleições, Catalunha Sim nós Podemos, Cidadãos, Partido Socialista da Catalunha, Unidade Popular, União Europeia, Artur Mas, Catalunha, Europa, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar