20:49 17 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    693
    Nos siga no

    Depois de meses de incerteza, a Rússia e a Ucrânia conseguiram rubricar o acordo sobre as entregas de gás natural russo para a Ucrânia no próximo inverno, embora não tenham assinado ainda o documento final.

    Maros Sefcovic, vice-presidente da Comissão Europeia, disse que o novo acordo foi rubricado na sexta-feira (25) em Bruxelas pelo ministro da Energia russo Aleksandr Novak e o ministro da Energia ucraniano, Vladimir Demchyshyn.

    Demchyshyn disse que ainda serão necessários alguns procedimentos antes da assinatura formal, mas que esta deve ocorrer em breve.

    A Rússia concordou em baixar o preço do gás para o mesmo valor que os países vizinhos pagam, de $251 por 1.000 metros cúbicos para $227,4, cortando o imposto de exportação.

    Por seu lado, a Ucrânia concordou em injetar 2 bilhões de metros cúbicos de gás russo nos locais de armazenagem subterrânea no seu território para ajudar os suprimentos de estoques para os países da UE.

    Novak, o ministro da Energia da Rússia, disse que o acordo deve garantir que milhões de pessoas na Ucrânia e na UE " [serão capazes de] sobreviver ao inverno de forma segura."

    No entanto, o chefe da gigante de gás russa Aleksei Miller não exclui que possa haver problemas de transporte de gás para a Europa, pois os 2 bilhões de metros cúbicos podem ser insuficientes para o inverno frio.

    "Não há nenhuns compromissos ou entendimentos quanto à questão de saber se a Ucrânia terá dinheiro ou não para comprar os 5 bilhões de metros cúbicos de gás necessários", explicou o diretor da Gazprom.

    Gasoduto na região de Donetsk
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    As disputas entre a Rússia e a Ucrânia sobre o gás levaram a cortes de abastecimento no passado. Um corte em 2009 causou interrupções graves nos fornecimentos de gás russo para países da União Europeia, visto que o principal gasoduto destinado à Europa passa pela Ucrânia.

    No inverno passado, a Rússia e a Ucrânia atingiram um acordo de emergência sobre os preços do gás, mas o acordo posteriormente expirou.

    As negociações sobre um acordo semelhante para o próximo inverno começaram em março, com mediação da UE.

    Mais:

    Ucrânia: acordo trilateral é a única opção para a Rússia
    Especialista: Independência ucraniana resultou em total colapso
    Kiev receberá até $300 milhões do Banco Europeu para comprar gás
    Tags:
    fornecimento, energia, gás, Alexander Novak, Aleksei Miller, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar