22:58 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro de Montenegro Milo Djukanovic (a direita) e o Secretário geral da OTAN Jens Stoltenberg

    ‘Deixe a OTAN fazer propaganda'

    © AP Photo / Risto Bozovic
    Mundo
    URL curta
    0 213

    Três ativistas do movimento Alternativa da cidade montenegrina de Niksic no dia 23 de setembro à noite iriam participar de um debate público no qual o primeiro-ministro de Montenegro, Milo Djukanovic, falou sobre o futuro do país no âmbito da participação na OTAN. Mas a polícia interviu nos seus planos e levou os jovens para a delegacia.

    Alegadamente, para verificar a sua identificação.

    Secretário geral da OTAN Jens Stoltenber fala com presidente de Montenegro Filip Vujanovic
    © AFP 2018 / SAVO PRELEVIC / AFP
    O quarto ativista foi removido para fora da sala onde o primeiro-ministro fazia o seu discurso, sob o pretexto de não levar passaporte. Levava a carteira de motorista, que a lei também admite como prova de identidade.

    A Sputnik falou com eles.

    "Temos vindo a debater sobre o tema da integração na OTAN, a nossa organização apoia o diálogo entre as pessoas que têm opiniões diferentes. Parece que Montenegro está de volta na era da ocupação nazista. Mas não vamos desistir da intenção de levantar questões delicadas porque a oportunidade de fazer uma pergunta e obter uma resposta caracteriza um Estado altamente desenvolvido", disse o chefe do movimento Alternativa, Vesko Pejak.

    Falando à Sputnik, Bojan Djurovic diz que ele foi privado da possibilidade de fazer umas perguntas ao primeiro-ministro pessoalmente, por isso ele vai perguntar a ele por meio da mídia:

    "A adesão à OTAN iria ajudar a garantir que vamos ter 40 mil novos postos de trabalho, que o primeiro-ministro prometeu ainda em 2013?" (população de Montenegro é 600 mil pessoas, por isso é um grande número).

    O terceiro detido, Nikola Bezmarevic, diz que se sente como um cidadão de qualidade inferior, porque a proibição de participar de um debate público viola o seu direito à liberdade e à expressão e movimento.

    "Eu não tive a chance de falar, eu simplesmente não fui permitido. Mas ouvi dizer que o primeiro-ministro, depois do discurso, perguntou ‘Onde estão todos aqueles que discordam'? Eu quero dizer que eles existem e que eles são muito mais do que ele pensa. Ele não quer ver a imagem real da opinião pública no Montenegro".

    Enquanto isso, o primeiro-ministro Djukanovic falava sobre a democracia e da necessidade de o país de acabar com o nacionalismo nos Bálcãs e de começar uma nova vida com a União Europeia e a OTAN.

    Mais:

    Montenegro espera convite para aderir à OTAN, mas oposição exige referendo
    Rússia: possível entrada de Montenegro na OTAN ameaça segurança da Europa
    Montenegro quer aderir a OTAN sem estragar relações com a Rússia
    Tags:
    voto, eleições, direitos humanos, OTAN, Jens Stoltenberg, Montenegro, UE, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik