04:52 24 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, durante reunião do Conselho de Estado na Crimeia.

    Vladimir Putin monitora de perto as ações do Estado Islâmico

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Mundo
    URL curta
    3201

    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, informou nesta sexta-feira (25) que o presidente russo, Vladimir Putin, e os serviços de inteligência do país estão monitorando de perto possíveis ameaças terroristas do grupo Estado Islâmico contra a Rússia.

    “Naturalmente, a ameaça terrorista é sempre o centro das atenções das agências e departamentos legalmente designados para este trabalho… Você sabe que estes são o Comitê Antiterrorismo, o Serviço Federal de Segurança e outros órgãos especializados. Claro que isso é bastante acompanhado de perto pelo chefe de Estado”, afirmou Peskov.

    Putin disse anteriormente que Moscou está preocupado com a influência da propagação do Estado Islâmico, que pretende abertamente expandir-se para Europa, Rússia, Ásia Central e Sudeste Asiático.

    No final de junho, o presidente russo pediu à Síria e a países como Turquia, Jordânia e Arábia Saudita para unir forças na luta contra o grupo militante Estado Islâmico através do estabelecimento de uma coalizão antiterrorismo. Mais tarde, ele discutiu a questão com o seu homólogo norte-americano Barack Obama.

    A coalizão internacional liderada pelos EUA tem realizado ataques aéreos contra posições do Estado Islâmico na Síria, assim como no Iraque. A Rússia tem criticado repetidamente o grupo por não buscar primeiro a aprovação do Conselho de Segurança da ONU ou do governo sírio antes de lançar a campanha e exortou o Ocidente e seus aliados para juntar forças com Damasco na luta contra o terrorismo.

    Tags:
    propagação, coalizão internacional, acompanhamento, preocupação, bombardeios, aprovação, inteligência, terrorismo, Nações Unidas, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Estado Islâmico, Dmitry Peskov, Barack Obama, Vladimir Putin, Damasco, Ásia, Turquia, Iraque, Arábia Saudita, Síria, Europa, Moscou, EUA, Jordânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik