18:01 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    A peregrinação a Meca acabou em tragédia após pisoteamento em Mina.

    Governo da Arábia Saudita responsabiliza peregrinos por tragédia em Meca

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    108

    A Arábia Saudita responsabilizou os fieis pela tragédia de quinta-feira (24), em Mina, na peregrinação muçulmana a Meca. Foi o pior desastre no evento religioso em 25 anos, com 717 pessoas mortas e pelo menos 863 feridas.

    O ministro da Saúde árabe, Khalid al-Falih, afirmou nesta sexta-feira (25) que o pisoteamento pode ter sido causado porque os peregrinos não seguiram as instruções das autoridades. Em nota divulgada em seu site oficial, o Ministério da Saúde anunciou uma rápida investigação sobre as causas da tragédia.

    Na quinta-feira, dois grandes grupos de peregrinos se encontraram em Mina, próximo a Meca. Eles seguiam para o Jamarat, ritual de “apedrejamento de Satanás”, quando houve uma multidão foi pisoteada após um descontrole.

    Aproximadamente, 3 milhões de pessoas estão participando do Hajj, a peregrinação a Meca que todo muçulmano deve fazer ao menos uma vez na vida. Os rituais acontecem durante seis dias.

    Tags:
    culpa, responsabilidade, mortes, islamismo, muçulmanos, instruções, desobediência, mortos, tragédia, pisoteamento, peregrinação, apedrejamento de Satanás, Jamarat, Hajj, Ministério da Saúde, Khalid al-Falih, Arábia Saudita, Mina, Meca
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik