11:53 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin, presidente da Federação Russa

    Putin: a crise síria só poderá ser solucionada com o fortalecimento do governo legítimo

    © Sputnik / Aleksey Nikolskyi
    Mundo
    URL curta
    5221

    A crise síria somente poderá ser solucionada com o fortalecimento do governo legítimo e com incentivo para que este governo inicie um diálogo com a oposição e realize reformas, afirmou o presidente russo, Vladimir Putin, em entrevista à emissora americana CBS, às vésperas de sua viagem para a Nova York, onde participará da Assembléia Geral da ONU.

    Presidentes do Irã e da Rússia Hassan Rouhani e Vladimir Putin
    © AFP 2018 / ALEXEY NIKOLSKY / RIA NOVOSTI / AFP
    “Correto, é assim”, disse Putin ao ser questionado se um dos objetivos de Moscou seria salvar o estado sírio dirigido pelo presidente Bashar Assad, que no momento sofre derrotas no conflito armado. 

    “Estou profundamente convicto de que ações em outra direção, voltadas para a derrota do governo legítimo, criarão uma situação que pode ser observada em outros países da região ou em outras regiões, como, por exemplo, na Líbia, onde as instituições do Estado estão em destroços. Observamos agora uma situação parecida, infelizmente, no Iraque”, disse Putin.

    “Não há outra maneira de solucionar a crise síria, além do fortalecimento das instituições estatais em atuação, além de oferecer apoio no seu combate ao terrorismo e, ao mesmo tempo, incentivando o seu diálogo com a parte saudável da oposição e incentivando reformas”, pontuou o presidente da Rússia. 

    Ao ser perguntado sobre sua opinião quanto à coalizão internacional liderada pelos EUA, que exige a destituição de Assad, o presidente russo recomendou aos jornalistas “perguntar o povo sírio, pois somente o povo sírio deve decidir quem deve governar o seu país e de que maneira”.

    No final de julho, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, propôs aos países da região, inclusive à Turquia, Jordânia e Arábia Saudita, se unir para combater o Estado Islâmico. A Rússia está pronta para cooperar no estabelecimento do diálogo entre os países. Os EUA trabalham para depor Assad e se manifestam contra qualquer ajuda ao atual governo da Síria. A Rússia, por outro lado, convocou a coalizão internacional a cooperar com o governo sírio, sob a égide do Conselho de Segurança da ONU, para combater o Estado Islâmico.

    Mais:

    Rússia, Irã e Síria criam centro para cooperação com xiitas no combate ao Estado Islâmico
    Rússia e Israel criam mecanismo conjunto na Síria
    Moscou mantém crítica à estratégia de ataques aéreos ao Estado Islâmico na Síria
    Tags:
    terrorismo, relações internacionais, cooperação técnico-militar, Guerra Civil Síria, Estado Islâmico, Bashar Assad, Vladimir Putin, EUA, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik