22:19 22 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Bagdá, Iraque

    Rússia, Irã e Síria criam centro para cooperação com xiitas no combate ao Estado Islâmico

    © Sputnik / Igor Michalev
    Mundo
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    13351

    Militares russos, sírios e iranianos organizaram em Bagdá um centro de coordenação para cooperar com xiitas no combate com a organização terrorista Estado Islâmico, informou a emissora Fox News, citando como fonte os serviços secretos ocidentais.

    Oficiais norte-americanos dizem ainda não estar claro o nível de participação do governo iraquiano no projeto, pontuou a emissora. 

    As fontes da Fox News também informaram que as aeronaves russas já começaram a realizar sobrevoos a partir da base aérea de Lataquia, na Síria, mas ainda se limitam à região desse complexo militar.  

    Esta semana, o Wall Street Journal informou que a Rússia e o Irã começaram a coordenar as suas ações em território sírio, com intuito de apoiar o presidente Bashar Assad. O comandante geral do exército iraniano, Ataollah Salehi, afirmou no entanto que Moscou e Teerã não estão oferecendo ajuda militar coordenada à Síria. Cada país estaria seguindo planos de ação próprios. 

    A Rússia, inúmeras vezes, convocou a coalizão internacional liderada pelos EUA a cooperar com o governo sírio, sob a égide do Conselho de Segurança da ONU, para combater o Estado Islâmico. No final de julho, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, propôs aos países da região, inclusive à Turquia, Jordânia e Arábia Saudita, se unir para combater o grupo terrorista. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, também manifestou em diversas ocasiões que Moscou sempre apoiou e pretende continuar apoiando o governo sírio, no âmbito técnico-militar, em sua luta contra o terrorismo.

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    Tags:
    cooperação técnico-militar, terrorismo, xiitas, Estado Islâmico, Bashar Assad, Vladimir Putin, Irã, Iraque, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik