11:17 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Hassan Rouhani, presidente do Irã

    Rouhani: nunca desejámos morte à América

    © AP Photo/ Vahid Salemi
    Mundo
    URL curta
    11212

    O presidente iraniano explicou alguns dos equívocos que têm afetado as relações entre os EUA e o Irã e disse que os iranianos não sentem hostilidade para com o povo americano.

    Durante muitos anos a tensão entre os dois países foi grande por causa do programa nuclear iraniano que, segundo alegações dos EUA, tinha um componente militar. Além disso, os EUA afirmam que o Irã apoia terroristas e viola os direitos humanos. As relações diplomáticas foram rompidas em 1980 e ainda não foram restauradas.

    "O nosso povo respeita o povo americano. O povo iraniano não deseja a guerra com nenhum país", disse Rouhani na entrevista ao canal norte-americano CBS News.

    O presidente explicou as razões da alegada hostilidade:

    "Mas, ao mesmo tempo, as políticas dos Estados Unidos foram contra os interesses nacionais do povo iraniano. É compreensível que as pessoas demonstrem sensibilidade nesta questão."

    Rouhani disse que o acordo sobre o programa nuclear concluído pelo Irã e o sexteto é um dos primeiros passos para melhorar as relações, mas levará anos a reparar os danos causados pela desconfiança mútua.

    "Quando as pessoas se levantaram contra o xá, os Estados Unidos apoiaram de forma agressiva o xá até os últimos momentos. Na guerra de oito anos com o Iraque, os americanos apoiaram Saddam. As pessoas não vão esquecer essas coisas. Não podemos esquecer o passado, mas, ao mesmo tempo, devemos olhar para o futuro ", declarou o presidente iraniano.

    Na entrevista à CBS News, Rouhani também procurou esclarecer alguns equívocos sobre os casos em que manifestantes iranianos gritam lemas como "Morte à América, morte a Israel", ou descrevem os EUA como o "Grande Satã", e explicou que a tradução de tais conceitos do persa para o inglês levou à incompreensão.

    "O Satã na nossa linguagem religiosa é usado para se referir a um poder que engana os outros e cujas palavras não são palavras claras, não correspondem à realidade", disse Rouhani, sublinhando que o lema não diz respeito ao povo americano.

    O presidente também expressou a esperança de que as relações entre os dois países melhorarem por via de maior contato entre as pessoas comuns.

    "Mesmo o turismo, se os cidadãos dos Estados Unidos forem para o Irã e virem a sua história antiga e a natureza, e os iranianos forem para os Estados Unidos para ver a América, isso pode reduzir os muros de desconfiança e melhorar a situação no futuro", disse Rouhani.

    Mais:

    Depois do fim das sanções, Irã retoma relações com o Brasil
    Irã diz que plano sobre Síria só será executado após consultas com a Rússia
    Por que a AIEA não inspeciona programa nuclear de Israel mas presta tanta atenção ao Irã?
    Tags:
    tensão, relações bilaterais, Hassan Rouhani, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik