20:40 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    referendo sobre a independência escocesa, Reino Unido

    Opinião: Referendo escocês foi influenciado por 'pressão e alarmismo' do governo britânico

    © flickr.com/ Bruno Meyer Photography
    Mundo
    URL curta
    0 03

    Um ano após o referendo sobre a independência escocesa, o ex-líder do Partido Nacional Escocês (SNP) Alex Salmond falou sobre a votação histórica, no programa Going Underground do canal televisivo russo RT, dizendo que a votação foi altamente influenciada pelo "pânico" de Downing Street e das grandes empresas.

    Em declarações ao apresentador do programa Afshin Rattansi, Salmond disse que o governo britânico fez uma démarche 10 dias antes do referendo, quando convidou os presidentes de várias grandes empresas para Downing Street.

    "A razão por que eu sei disso é que nem todo o mundo que foi chamado concordou em se tornar agente do governo, e, portanto, me telefonaram imediatamente para me alertar sobre as ordens que tinham recebido de Downing Street."

    Ele disse que as empresas “foram informadas de que tinham de falar imediatamente para salvar a União", acrescentando que o grande varejista Asda sucumbiu à pressão, enquanto a cadeia de supermercados Tesco recusou.

    Salmond salientou que o encontro em Downing Street teve lugar logo depois de uma votação no Sunday Times ter mostrado que o “Sim” (à independência da Escócia) estava à frente pela primeira vez desde o início da campanha 

    "Não há dúvida de que isso influenciou bastante; teve um efeito de alarmismo e de suporte. Mas é claro que se você tem um “policial mau”… para ser eficaz você tem que ter também um “policial bom”. E, claro, a iniciativa do “policial bom” foi ouvida, você vota “Não” e nós vamos dar-lhe uma série de poderes adicionais. Nós vamos devolver-lhe ao máximo. Nós vamos dar-lhe algo que estará o mais próximo possível do federalismo, no espaço máximo de um ano."

    Salmond concluiu que foi essa combinação de "pressão e alarmismo" e a "oferta de poderes adicionais" que acabou por ser decisiva no referendo.

    Quanto àqueles que alinharam contra a independência da Escócia há um ano, Salmond disse que parece que para eles “foi uma pequena maldição”.

    "Eu não estou dizendo que tenho evidências absolutas de que tenham lançado uma maldição contra eles, mas a evidência está no que se seguiu. Ed Miliband, onde está ele agora? Gordon Brown, onde está ele agora? Nick Clegg, onde está ele agora? As coisas não têm corrido muito bem para [o varejista] Marks & Spencer. E agora nós vemos que [o ex-primeiro-ministro australiano] Tony Abbott caiu no esquecimento. Então, um a um, todos os instigadores de não "fazer campanha contra companheiros de viagem" estão sendo reduzidos a pó em todo o planeta. Mesmo que não seja uma maldição, certamente você não terá sorte se fizer campanha contra o povo da Escócia ", disse ele com uma risada.

    Tags:
    independência, referendo, mídia, RT, Alex Salmond, Tony Abbott, Escócia, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik