10:17 10 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    31660
    Nos siga no

    A OTAN continua a sua escalada militar nas proximidades da Rússia: pela primeira vez desde o início da crise ucraniana, Eurofighter alemães, dotados de munições completas, estão preparados para patrulhar o espaço aéreo do Báltico.

    O patrulhamento aéreo do Báltico é uma missão da OTAN efetuada desde 2004, quando a Letónia, Estónia e Lituânia aderiram ao bloco militar.

    Em contraste com a prática de setembro-dezembro de 2014, agora as aeronaves irão transportar munições suficientes para um combate real: mísseis infravermelhos de curto alcance, mísseis de médio alcance guiados por radar e um sistema de defesa eletrônica com dispositivos que são ejetados quando aparece uma ameaça.

    Comentando o aumento da capacidade de combate dos jatos, o inspetor da Força Aérea alemã Karl Müllner disse à Deutsche Presse Agentur:

    "Esta não é uma ferramenta para a escalada. É apenas uma ferramenta para estar a par [de um inimigo em potencial]. E esta é uma ferramenta para motivar os soldados envolvidos na atividade [de patrulhamento aéreo]".

    No entanto, não há necessidade de ser especialista para ler nas entrelinhas: a OTAN envia inequivocamente um sinal beligerante para a Rússia. E é outro passo na expansão da presença militar da aliança na Europa Oriental. 

    Além disso, os três estados bálticos "vulneráveis" ficaram inquietos e exploraram histericamente o mito de uma "Rússia má", criando um pretexto conveniente para a OTAN aumentar a sua força militar na região.

    Mais:

    Montenegro espera convite para aderir à OTAN, mas oposição exige referendo
    OTAN envolve Áustria no armamento da Ucrânia
    OTAN ativa seu potencial nuclear em manobras junto às fronteiras com a Rússia
    Tags:
    expansionismo, aeronaves, Eurofighter Typhoon, OTAN, Europa Oriental
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar