22:00 18 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Moedas e notas de yuan chinês em torno de um dólar norte-americano

    Câmara de Comércio dos EUA pressiona por tratado de investimento bilateral com a China

    © AP Photo / EyePress, FILE
    Mundo
    URL curta
    1010

    Washington e Pequim devem prontamente concluir um tratado sobre investimento bilateral, segundo disse o presidente da Câmara de Comércio dos Estados Unidos (USCC, na sigla em inglês), Thomas Donohue, em um comunicado à imprensa nesta quinta-feira (17).

    Donohue, à frente da organização empresarial que representa os interesses de grandes companhias norte-americanas, se reuniu com o presidente chinês Xi Jinping às vésperas da sétima edição do Diálogo Anual de CEOs e Ex-altos Funcionários EUA-China.

    "Nós pedimos que os dois governos reforcem a relação econômica e comercial, inclusive através da celebração de um tratado abrangente e de alto padrão para o investimento bilateral, o mais rápido possível", disse Donohue após a reunião com o líder chinês.

    Segundo o representante da USCC, o diálogo ajuda os dois países a fortalecer oportunidades, compartilhar interesses e fazer recomendações aos governos.

    "A expansão da relação comercial EUA-China é essencial para impulsionar o crescimento necessário em nossas economias e a estabilidade na economia global", acrescentou Donohue.

    O Presidente Xi Jinping fará sua primeira visita de Estado a Washington no próximo dia 25 de setembro. O chefe de Estado participará da 70ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, e manterá negociações com o presidente dos EUA, Barack Obama.

    No início deste mês, o jornal britânico Financial Times revelou que a Casa Branca estava estudando a possibilidade de introduzir sanções contra empresas chinesas supostamente envolvidas nas acusações de espionagem econômica e roubo de propriedade intelectual norte-americana, apesar de Pequim negar as acusações. 

    Segundo o Washington Post, o pacote de sanções elaborado pela administração de Obama incluiria o congelamento de ativos e a proibição de transações comerciais, segundo prevê a diretiva assinada em abril deste ano pelo presidente dos EUA para combater entidades e indivíduos estrangeiros ligados à espionagem cibernética. 

    Mais:

    Presidente chinês pode cancelar visita aos EUA
    Obama: Rússia e China estão prestes a ultrapassar os EUA em segurança cibernética
    China ultrapassa EUA e outros mercados do mundo
    Li Keqiang: perspectivas econômicas da China são positivas
    Tags:
    segurança cibernética, sanções, propriedade intelectual, relações comerciais, hackers, espionagem, economia, tratado de investimento bilateral, investimento estrangeiro, Diálogo Anual de CEOs e Ex-altos Funcionários EUA-China, Nações Unidas, Assembleia Geral da ONU, Câmara de Comércio dos EUA, Thomas Donohue, Xi Jinping, Barack Obama, Pequim, Washington, EUA, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar