00:00 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 03
    Nos siga no

    Pelo menos 16 pessoas morreram em decorrência de um surto de cólera em três acampamentos para vítimas do Boko Haram no nordeste da Nigéria, conforme anunciou a organização internacional Médicos sem Fronteiras (MSF) nesta quarta-feira, 16.

    "A contagem oficial deste 16 de setembro é de 172 casos de cólera e 16 mortes", declarou a organização através de um comunicado oficial. 

    Os acampamentos afetados, criados para abrigar pessoas deslocadas em razão do avanço terrorista, ficam em Maiduguri, no estado de Borno, o mais afetado pela violência do Boko Haram, com mais de 15 mil mortos e dois milhões de desabrigados nos últimos seis anos. 

    De acordo com Ghada Hatim, encarregada das operações da MSF na Nigéria, e Chibuzo Okonta, chefe dos projetos de emergência da ONG, outras instituições e agências internacionais precisam ajudar imediatamente no controle da situação. 

    "Em setembro de 2014, a MSF tratou mais de 4 mil pacientes depois que uma epidemia de cólera atingiu o estado de Borno", declarou Okonta. "As condições de vida e higiene nesses acampamentos eram e continuam sendo propícias ao aparecimento desse tipo de epidemia. Nós precisamos de mais apoio". 

    Os primeiros casos do atual surto de cólera foram registrados ainda no mês passado, em um dos acampamentos de Maiduguri. Segundo a Médicos sem Fronteiras, a fonte de água contaminada, responsável pelo problema, já foi identificada e uma grande operação de limpeza foi iniciada no local.

    Mais:

    Líder do Boko Haram “ressuscita” em áudio divulgado na internet
    Atentados suicidas do Boko Haram no Chade mataram no mínimo 30 pessoas
    Boko Haram mata 11 pessoas após posse de novo presidente da Nigéria
    Tags:
    cólera, Médicos Sem fronteiras, Boko Haram, Ghada Hatim, Chibuzo Okonta, Borno, Maiduguri, Nigéria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar