08:50 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Encontro do quarteto de Normandia em Minsk

    Acordos de Minsk-2 serão tema principal do encontro do Quarteto da Normandia

    © REUTERS / Mykola Lazarenko/Ukrainian Presidential Press Service/Handout via Reuters
    Mundo
    URL curta
    0 21

    O assunto principal do encontro do Quarteto de Normandia (Rússia, França, Alemanha e Ucrânia-ed.) que está marcado para 2 de outubro será a plena implementação dos acordos de Minsk, disse o assessor do presidente russo Yury Ushakov.

    "O assunto principal é a plena realização dos acordos de Minsk. Como nos parece, todas as quatro partes se preparam para trocar opiniões sobre isso", disse Ushakov respondendo às perguntas dos jornalistas.

    Durante a conversa telefônica de 10 de Setembro, os líderes da Rússia, Alemanha, França e Ucrânia concordaram em continuar o trabalho no formato normando e agendaram uma reunião para 2 de outubro.

    Em fevereiro passado, as negociações neste formato em Minsk duraram toda a noite. Em resultado, foi coordenado o plano de regularização pacífica na Ucrânia. Depois disso, os líderes do Quarteto de Normandia falaram só por telefone.

    Este formato na regularização na Ucrânia surgiu no verão de 2014, depois de uma reunião na Normandia durante as celebrações por ocasião do 70o aniversário do desembarque das tropas aliadas.

    Em meados de abril de 2014, a Ucrânia deu início a uma operação militar para reprimir de forma violenta os ânimos independentistas.

    A fim de buscar uma solução para o conflito, em 12 de fevereiro de 2015 representantes da Alemanha, Rússia, França e Ucrânia se reuniram na capital da Bielorrússia e determinaram a retirada de tropas, um cessar-fogo completo em Donbass e uma reforma constitucional com a entrada em vigor até o final do ano de 2015 de uma nova Constituição, com a descentralização como elemento-chave, através da assinatura dos chamados Acordos de Minsk.

    Tags:
    negociações, Acordos de Minsk, Yuri Ushakov, Ucrânia, França, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar