17:28 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Segundo o porta-voz da presidência da Turquia, Ibrahim Kalyn, cerca de 500 pessoas foram detidas e 165 foram presas sob a acusação de laços com o Estado Islâmico

    Turquia prende mais de 160 pessoas por suspeitas de ligação com o EI

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    231

    As autoridades da Turquia prenderam 165 pessoas por suspeita de ligações com o Estado Islâmico, segundo informou o porta-voz da presidência Ibrahim Kalyn nesta terça-feira.

    "A Turquia continua sua luta contra o EI. Nós estamos lançando ataques aéreos contra alvos do EI na Síria e continuamos os esforços para criar zonas de segurança na fronteira. Mais de 20 mil nomes estão na lista de pessoas proibidas de entrar na Turquia em conexão com o seu envolvimento com essa organização terrorista. Cerca de 500 pessoas foram detidas e 165 foram presas sob a acusação de laços com o Estado Islâmico", disse Kalyn durante uma coletiva de imprensa.

    Segundo o porta-voz do governo, a Turquia não pode assumir toda a culpa pela entrada de extremistas estrangeiros no território sírio para combater ao lado dos terroristas do EI, uma vez que nem sempre Ancara recebe as devidas informações, dos serviços de inteligência internacionais, sobre cidadãos suspeitos de outros países.

    De acordo com dados oficiais, milhares de extremistas estrangeiros utilizam a fronteira turca para entrar na Síria com o objetivo de se juntar ao Estado Islâmico.

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)

    Mais:

    4.000 militantes do Estado Islâmico penetraram na Europa sob a capa de refugiados
    Rússia e parceiros da OTSC bloqueiam 50 mil sites de recrutamento do Estado Islâmico
    Turquia confirma invasão no Norte do Iraque
    Turquia liberta dois jornalistas detidos por terem laços com terroristas
    EUA e Turquia lançam operação militar conjunta contra Estado Islâmico
    Tags:
    terrorismo, Estado Islâmico, Ibrahim Kalyn, Ancara, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar