13:55 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Vista de Teerã, capital do Irã

    Mundo espera petróleo iraniano, Rússia está preparada

    © AFP 2017/ BEHROUZ MEHRI
    Mundo
    URL curta
    12011211

    O Irã vive à espera do levantamento das sanções econômicas, enquanto especialistas fazem previsões sobre o futuro do mercado petrolífero.

    O chefe da maior empresa energética russa, Rosneft, Igor Sechin, afirmou que o Irã, Rússia e Venezuela têm o maior potencial para aumentar a exploração do petróleo por possuírem novas jazidas. Mas, pela mesma razão, a competitividade será muito alta.

    O chefe da empresa privada russa Lukoil, Vagit Alekperov, é de opinião que a sua empresa tem preferências face aos possíveis concorrentes.

    O cientista político, professor e especialista em assuntos do Irã, Vladimir Sazhin, comentou à Sputnik:

    “Segundo os dados da mídia que cita diplomatas ocidentais, as sanções financeiras e petrolíferas em relação ao Irã serão levantadas nos primeiros três meses de 2016. De acordo com as previsões, o mercado petrolífero iraniano poderá suspirar de alívio quando a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) acabar com o monitoramento das estruturas nucleares do Irã.”

    No entanto, delegações da Alemanha, França, Itália, Japão, Índia, Espanha e República Tcheca estão sendo muito ativas no Irã. O ministro do Petróleo iraniano, Namdar Zangeneh, declarou: 

    “Empresas iranianas e alemãs podem começar as negociações antes do levantamento das sanções para que possam assinar contratos de investimentos logo após o levantamento.”

    Falando da Rússia, podemos lembrar que empresas petrolíferas Lukoil, Tatneft e Gazprom saíram do Irã após as sanções terem sido introduzidas, mas atualmente planejam retornar ao país.

    Segundo o especialista russo em mercados petrolíferos Mikhail Krutikhin, as empresas russas têm boas chances de trabalhar no Irã, especialmente a Lukoil. O presidente da empresa admite o mesmo, destacando o mercado iraniano como uma das prioridades de Lukoil. Já estão decorrendo conversas com o lado iraniano. No entanto a Lukoil já tem o acordo sobre a exploração na plataforma do golfo Pérsico e em uma série de províncias iranianas.

    Alekperov sublinhou que a Lukoil tem vantagens face aos concorrentes, por exemplo, a jazida de Anaran, que foi descoberta pela empresa. A jazida já começou a ser explorada e todos os materiais geológicos estão prontos para o trabalho, já existem dados sobre a geografia e a logística.

    Enquanto isso, várias especialistas destacam que o sucesso do trabalho de empresas estrangeiras no Irã dependerá em muito da legislação que regulará a exploração de hidrocarbonetos no país.

    O país nunca teve acordos sobre a divisão da produção, todos os negócios eram realizados por via de contratos de prestação de serviços.

    Nina Mamedova, especialista em assuntos do Irã e economista, comentou à Sputnik:

    “É verdade que a legislação atual iraniana não favorece o trabalho de empresas estrangeiras no setor energético. Mas agora já por vários meses no país está sendo elaborado um projeto de lei sobre a divisão da produção. O projeto pode ser aprovado em breve.” 

    O chefe de Lukoil também disse que planeja visitar o Irã em setembro para realizar negociações com o ministro do Petróleo iraniano e os chefes da empresa petrolífera nacional do Irã.

    Tudo isso inspira esperança, de acordo com Sazhin, nas perspectivas de uma cooperação que satisfaça os interesses da Rússia e do Irã.

    Mais:

    Irã promete recuperar participação no mercado internacional de petróleo
    Tags:
    negócios, petróleo, sanções, Irã, Alemanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik