01:20 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Barack Obama  e Xi Jinping

    Bem-vindo, senhor Xi Jinping: EUA planejam introduzir sanções contra China

    © AFP 2019 / Mandel NGAN
    Mundo
    URL curta
    31681
    Nos siga no

    A Casa Branca estuda introduzir sanções na próxima semana contra empresas chinesas que alegadamente foram envolvidas no roubo cibernético de propriedade intelectual norte-americana, informa o jornal britânico Financial Times.

    Segundo um oficial que pediu anonimato citado pela publicação, as sanções podem ser introduzidas no Dia de Trabalho dos EUA, um feriado anualmente celebrado cada primeira segunda-feira do setembro. 

    Vale lembrar que a Agência Federal de Investigação dos EUA (FBI) recentemente culpou a China pelo aumento de 53% dos casos de espionagem econômica no ano passado. No entanto, os próprios EUA foram acusados da mesma coisa em junho do ano em curso.

    A introdução das sanções veio na véspera da visita oficial do chefe do Estado chinês, Xi Jinping, esperada para finais de setembro.

    Segundo a edição japonesa Diplomat, é pouco provável que a Casa Branca cancelasse o convite confirmado em julho durante a conversa telefônica entre os líderes dos países. Especialmente lembrando que o líder da China deve chegar aos EUA não só para se encontrar com o presidente Obama, mas também para fazer o discurso na 70ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York em 28 de setembro.

    O jornal Washington Post revelou que o pacote de sanções elaborado pela administração de Obama incluirá congelamento de ativos e proibição a realizar transações. 

    Sanções, sanções quentes!
    © Sputnik / Vitali Podvitski
    Sanções, sanções quentes!
    Se os EUA introduzirem sanções, o precedente seria o primeiro caso em que caberá usar a ordem de Obama assinada em abril que firma a autoridade de congelar bens financiais e propriedade e proibir transações comerciais com indivíduos e entidades estrangeiros envolvidos em ataques destrutivos ou espionagem cibernética.

    Tags:
    cibersegurança, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar