22:32 20 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Papa Franciso tenta pegar um lenço jogado por um fiel na Praça São Pedro.

    Papa Francisco lembra celebração na China para pedir paz ao mundo

    © REUTERS / Tony Gentile
    Mundo
    URL curta
    0 41

    O Papa Francisco lembrou nesta quarta-feira (2), em sua audiência semanal, das comemorações na China pelos 70 anos fim da II Guerra Mundial. Ele aproveitou as celebrações para fazer um apelo pela paz no mundo.

    “Que no mundo de hoje não se volte a viver os horrores e sofrimentos terríveis de tragédias como aquela. Que não haja mais guerra. Este é o grito dos nossos corações, dos corações de todos os homens e mulheres de boa vontade”, afirmou o Papa.

    O Pontífice também recordou a perseguição às minorias, como os cristãos em algumas partes do mundo, e a “loucura da destruição”. O líder da Igreja Católica criticou os fabricantes e traficantes de armas “manchados com o sangue de inocentes”.

    Na terça-feira (1), o Papa Francisco foi manchete em todo o mundo por anunciar a autorização do perdão no Ano Santo Extraordinário, em comemoração ao cinquentenário do Concílio Vaticano II e cujo tema é a misericórdia, às mães e aos profissionais que provocaram aborto e se arrependeram de coração. Esta permissão só era dada aos bispos diocesanos e aos sacerdotes por esses indicados. A medida se torna, para o período, a concessão de uma forma direta a partir da Santa Sé.

    A China receberá chefes de Estado e governo de muitos países para a Parada da Vitória, que acontecerá na quinta-feira (3) em comemoração do fim da II Guerra Mundial. No dia 2 de setembro de 1945, o imperador do Japão, Hiroito, assinou o acordo de rendição.

    Tags:
    minorias, perseguição, autorização, rendição, armas, misericórdia, paz, perdão, aborto, II Guerra Mundial, Concílio Vaticano II, Igreja Católica, Hiroito, Papa Francisco, Japão, Vaticano, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar