17:02 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Federação da Rússia Vladimir Putin

    Presidente russo quer eliminar dólar e euro

    Host photo agency
    Mundo
    URL curta
    1618210
    Nos siga no

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, preparou um projeto de decreto que visa retirar o dólar e o euro do intercâmbio comercial entre os países que fazem parte da Comunidade de Estados Independentes (CEI).

    Com a aprovação desta medida, o mercado financeiro comum pode abranger a Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Moldávia, Quirguistão, Rússia, Tajiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão.

    De acordo com o comunicado oficial do Kremlin, “isso ajudaria a expandir o uso das moedas nacionais em pagamentos no comércio e serviços financeiros internacionais e, desta maneira, criar pré-requisitos para uma maior liquidez dos mercados monetários domésticos”.

    No futuro, a eliminação do dólar e do euro fomentará “uma política monetária coordenada visando criar novas oportunidades para implementar estratégias de comércio e investimentos de longo prazo e trazer a estabilidade macroeconômica à região”, reza o comunicado.

    A CEI é composta por países cujos territórios integravam a União Soviética. No entanto, a Bielorrússia, Cazaquistão e o Quirguistão também fazem parte da União Econômica Eurasiática (UEE). Dentro deste espaço econômico, a estratégia de uso obrigatório de moedas locais pode ser implementada até 2030.

    Vale lembrar que em agosto, o Banco Central da China adotou o rublo como segunda moeda legítima na cidade de Suifenhe, na província de Helongjiang, fronteiriça com a Rússia.

    Mais:

    Economistas propõem nova moeda que poderá derrubar o dólar
    Embaixador brasileiro na Rússia apoia moeda única dos BRICS (Entrevista)
    Imagens revelam suposta moeda cunhada pelo Estado Islâmico
    Rússia e China podem adotar pagamentos em moeda local
    Tags:
    euro, dólar, rublo, CEI, União Econômica Eurasiática, Vladimir Putin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar