03:09 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Manifestantes empunham cartazes com slogans contra o primeiro ministro do país, Shinzo Abe e sua política de segurança, do lado de fora do Parlamento japonês em Tóquio

    Milhares protestam no Japão contra o uso de Exército no exterior

    © REUTERS/ Thomas Peter
    Mundo
    URL curta
    4783141

    A Câmara Baixa do Parlamento japonês já aprovou a legislação que permitiria que tropas do país participassem de ação militar no exterior. A constituição atualmente só permite que Tóquio se envolva em guerra nos casos de auto-defesa.

    Tanque durante exercícios militares no Japão
    © AP Photo/ Shizuo Kambayashi
    Milhares de pessoas protestaram do lado de fora do Parlamento do Japão em Tóquio neste domingo (30) contra a nova lei que permitiria a atuação de destacamentos militares no exterior, informou a imprensa local.

    De acordo com a BBC, dezenas de milhares de pessoas se reuniram do lado de fora do Parlamento, exigindo a renúncia do primeiro-ministro Shinzo Abe e a proteção da pacífica constituição japonesa.

    O Japão tem visto inúmeros protestos contra a nova legislação, desde que a Câmara aprovou o projeto em junho deste ano.

    Sob o pacote legislativo, o governo do Japão será capaz de despachar suas forças de defesa no exterior para ajudar seus aliados, isto sem a necessidade de um debate parlamentar ou leis especiais.

    O Império do Japão e Alemanha nazista, juntamente com o Reino da Itália, originalmente compuseram a aliança militar conhecida como Eixo, durante a Segunda Guerra Mundial, lutando contra as forças aliadas, incluindo a União Soviética, os Estados Unidos, o Reino Unido e outros.

    Após a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, a constituição do país foi alterada para que o exército não pudesse ser utilizado para resolver disputas internacionais. 

    As atuais Forças Armadas do Japão são chamadas de forças de autodefesa e suas funções são severamente limitadas.

    Mais:

    Oficiais russos continuam visita às Curilas apesar de protestos do Japão
    Opinião: desculpas do Japão pela Segunda Guerra Mundial são insuficientes
    Japão religa reator nuclear pela primeira vez desde Fukushima e recebe protestos
    EUA fecham venda US$ 1,5 bilhão em armas ao Japão
    Vice-presidente dos EUA pede desculpas por "ter causado problemas" ao Japão
    Japão cobra explicações aos EUA sobre espionagem ao governo e empresas do país
    Tags:
    forças armadas, política de segurança, pacifismo, manifestações, protestos, Exército Japonês, Shinzo Abe, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik