18:31 19 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0020
    Nos siga no

    O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, declarou nesta quinta-feira, 27, estar discutindo junto aos líderes da União Europeia possíveis cenários de expansão das sanções contra a Rússia.

    “Após meus encontros com a chanceler da Alemanha Angela Merkel e o presidente da França François Hollande, em Berlin, no dia 24 (de agosto), nós continuamos a discutir com os líderes da UE possíveis “limites” para a Rússia, que deverão levar a uma imediata resposta por parte da comunidade internacional em forma de sanções, caso esses limites sejam transpostos” – disse Poroshenko à imprensa após se encontrar com o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker e presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

    Desde meados de abril de 2014, a Ucrânia realiza uma operação militar contra as forças independentistas do leste do país. Estas não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas que chegaram ao poder após um golpe de Estado em Kiev.

    As autoridades ucranianas, bem como os EUA e a União Europeia têm constantemente acusado a Rússia de interferir nos assuntos internos da Ucrânia. Moscou, por sua vez, tem repetidamente refutado tais acusações, afirmando possuir interesse numa resolução rápida e pacífica do conflito no país vizinho.

    Em julho do ano passado, a UE e os Estados Unidos aplicaram sanções pontuais contra certos indivíduos e empresas da Rússia, como resultado de uma suposta participação russa no conflito ucraniano. Em seguida, foram implementadas medidas restritivas em relação a setores inteiros da economia russa. Em resposta, a Rússia restringiu a importação de produtos alimentares de países que impuseram as sanções.

    Mais:

    Pentágono não exclui possibilidade de futuras cooperações com a Rússia
    Moscou inclui cinco países na lista dos proibidos de exportar alimentos para a Rússia
    Rússia vetará alimentos de países que se juntem às sanções
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar