20:33 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos.

    Peruanos protestam contra a presença de militares dos EUA no país

    © AFP 2017/ Nikolay Doychinov
    Mundo
    URL curta
    34451

    Os peruanos realizaram uma grande caminhada na quarta-feira (19), em Lima, para protestar contra a presença de militares dos EUA no território do Peru. Eles partiram da Praça San Martin e foram até a embaixada norte-americana na capital do país.

    Representantes da sociedade civil reclamam da ameaça à soberania e à segurança nacional que as tropas estrangeiras representam. No dia 1º de setembro, mais 3.200 militares dos EUA deverão chegar ao país, com armamentos, navios e aviões.

    O ativista Guillermo Bermejo, do grupo Ágora Popula, afirmou na emissora Telesur que a luta contra a invasão estrangeira está apenas começando. Os representantes do movimento civil afirmam que a entrada de militares estrangeiros em muitos países significou massacres, torturas e violações de direitos humanos.

    O secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Ernesto Samper, defendeu em março a retirada de todas as bases militares dos EUA em países latino-americanos afirmando que estas unidades são do tempo da Guerra Fria.

    Em maio, o Pentágono confirmou que está enviando até o final deste ano 200 fuzileiros navais para Honduras. Eles ficariam na base de Soto Cano, onde já estavam 500 soldados norte-americanos. Oficialmente, as tropas ajudariam os hondurenhos em caso de furacões. No entanto, especialistas internacionais acharam o número de homens bastante exagerado.

    Os EUA ainda enviarão outros 90 militares para Guatemala, El Salvador e Belize.

    Tags:
    torturas, massacres, fuzileiros navais, presença, caminhada, base militar, chegada, militares, soldados, estrangeiros, soberania, invasão, protesto, manifestação, tropas, ameaça, direitos humanos, Soto Cano, Guerra Fria, Pentágono, Unasul, Ernesto Samper, Belize, Lima, El Salvador, Guatemala, Honduras, Peru, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik