11:13 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da Rússia Vladimir Putin e presidente dos Estados Unidos Barack Obama apertam as mãos

    Política externa russa faz corar Estados Unidos ao ver seu fracasso

    © AFP 2017/
    Mundo
    URL curta
    14732

    O êxito da diplomacia russa pode ser explicado pela lógica fria dos interesses nacionais no exterior e objetivos claros no que diz respeito à diplomacia.

    "É difícil admitir, mas a diplomacia russa é mais inteligente do que dos EUA", escreve um colunista da edição estadunidense US News & World Report.

    Várias vezes o presidente russo, Vladimir Putin passou por cima da administração dos Estados Unidos, escreve o jornalista, lembrando os esforços da Rússia para resolver os problemas sírios e iranianos.

    A posição da Rússia é de apoio ao presidente da Síria, Bashar Assad. Os russos continuam trabalhando em uma base naval na cidade portuária síria de Tartus, e os resultados das reuniões entre a Federação Russa, Arábia Saudita e Estados Unidos corroboram que a Rússia está no caminho certo para atingir seus objetivos. 

    Agora, o governo de Obama não está pedindo derrubar o regime de Assad e está elogiando a Rússia por um acordo sobre armas químicas. "A Rússia pode não só obter prestígio diplomático no mundo, se ela for capaz de pôr fim à guerra civil síria, todos os liberais internacionais vão cumprimentar os russos por terem prevenido uma das piores tragédias na esfera dos direitos humanos", escreve o colunista norte-americano. 

    Além disso, as ações da Rússia levam a uma aproximação entre a Síria e o Irã, que provoca "problemas para os interesses norte-americanos".

    Segundo o jornalista, o sucesso da diplomacia russa é condicionado por duas razões principais.

    "Em primeiro lugar, a política externa da Rússia é baseada em um cálculo frio dos interesses nacionais russos no exterior. Em segundo lugar, a Rússia tem objetivos claros no que diz respeito à diplomacia", escreve o colunista.

    Segundo ele, a política externa russa faz os Estados Unidos corarem de vergonha. Ele ainda exorta o governo Obama a mudar a sua estratégia de ação se os Estados Unidos querem conter o "urso" russo.

    Mais:

    Clinton critica política de Obama para o Ártico
    Mídia: Obama quer a guerra e faz o trabalho sujo por intermédio de Kiev
    Vladimir Putin deve participar da Assembleia Geral da ONU
    Putin promete ajudar boxeador americano a obter a cidadania russa
    Putin: assunto da Crimeia está encerrado
    Político europeu: OTAN usa Rússia para justificar sua própria existência
    Lavrov pede que Coalizão Síria dialogue com outros grupos de oposição
    Lavrov: a prioridade é combater o Estado Islâmico, acertar contas é para depois
    Brasil e Rússia aprofundam discussão para a compra dos sistemas antiaéreos russos Pantsir
    Tags:
    política, Bashar Assad, Barack Obama, Vladimir Putin, Estados Unidos, Irã, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik