07:04 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Praça da Paz Celestial (Tiananmen), em Pequim, é a terceira maior praça no mundo. Foto de arquivo

    Presidente da Rússia aproveitará celebrações na China para fomentar parceria

    © Sputnik/ Aleksei Babushkin
    Mundo
    URL curta
    2172

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assistirá à parada militar em Pequim no dia 3 de setembro. Os líderes da Comunidade de Estados Independentes (CEI) também estarão presentes, confirmou o embaixador russo na China, Andrei Denisov.

    A China prepara um extenso desfile militar para comemorar os 70 anos da vitória chinesa na guerra contra o Japão, que coincida com o fim da Segunda Guerra Mundial. A data é 3 de setembro, mas o mandatário russo chegará na véspera.

    Além da participação dos atos solenes, os líderes dos dois países aproveitarão o encontro para fazer negócio. Segundo o embaixador Denisov, está prevista a assinatura de uma série de contratos:

    “Um pacote bastante volumoso de 22 documentos está sendo preparado. No que toca à eventual assinatura de documentos sobre o gás, sobre a rota ocidental, ainda ninguém o sabe aqui. Negociações são constantes e não param, se houver acordo, haverá [a assinatura]”.

    Denisov precisou também que a delegação russa incluirá, além do presidente Putin, o chanceler Serei Lavrov, o ministro da Defesa Sergei Shoigu, a vice-primeira-ministra Olga Golodets e outros altos cargos.

    CEI

    Os países ex-soviéticos também estarão representados pelos seus chefes de Estado na Parada da Vitória chinesa, disse Denisov, precisando que se trata de "quase todos deles".

    Bandeiras na praça da Paz Celestial (Tiananmen). Foto de arquivo.
    © AFP 2017/ WANG ZHAO
    A praça da Paz Celestial (Tiananmen), em Pequim, é a principal praça da China e a terceira maior praça no mundo.

    Coreia do Sul

    A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, confirmou a sua visita à China, que começará em 2 de setembro também e durará três dias. Mas fontes oficiais de Seul não precisaram se Park irá assistir também à parte solene das cerimônias, que inclui a parada militar na praça Tiananmen.

    Nesta quinta-feira, a Coreia do Sul está vivendo tensões na sua fronteira com a Coreia do Norte, após um incidente com tiroteio.

    Japão

    Após especulações sobre uma possível visita do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, para participar das celebrações em Pequim, veio uma reação oficial que desmentiu tais sugestões.

    Mais:

    China nega informações sobre visita de Shinzo Abe ao país
    Rublo e yuan ganham direitos iguais na China e na Rússia
    Vladimir Putin e Shinzo Abe podem se reunir na China
    EUA terão advertido Coreia do Sul contra participação na Parada da Vitória chinesa
    Japão tenta evitar presença nas celebrações do Dia da Vitória na China
    China prepara demonstração de força militar em sua Parada da Vitória
    Entrevista: ministro da Defesa, Jaques Wagner, em Moscou, comenta a Parada da Vitória
    Íntegra da Parada de Vitória em Moscou
    Tags:
    Segunda Guerra Mundial, Park Geun-hye, Andrei Denisov, Shinzo Abe, Xi Jinping, Vladimir Putin, Praça Tiananmen, Coreia do Sul, China, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik