09:47 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Senador americano John McCain fala durante coletiva de imprensa em Kiev, Ucrânia. Foto de arquivo

    Delegação dos EUA vai à Estônia para discutir cibersegurança

    © AP Photo/ Sergei Chuzavkov
    Mundo
    URL curta
    445106

    Na quinta-feira (20), uma delegação do Congresso estadunidense, encabeçada pelo republicano John McCain, começará a sua turnê báltica e escandinava. O primeiro país a ser visitado será a Estônia.

    Segundo um comunicado da embaixada dos EUA em Tallinn, a visita terá a cibersegurança como tema principal da reunião.

    Outros membros da delegação incluem o democrata Sheldon Whitehouse e o republicano John Barrasso.

    A agenda da visita inclui uma reunião, na sexta-feira, em formato de mesa redonda, com a participação da ministra das Relações Exteriores estoniana, Marina Kaljurand, representantes dos ministérios da Defesa e Economia. A parte estoniana transmitirá aos norte-americanos uma análise da cibersegurança no país.

    Depois da Estônia, os senadores estadunidenses irão visitar a Noruega e a Letônia.

    Hoje, McCain está na Suécia. Em uma entrevista coletiva, ele disse estar preocupado pela “atividade militar aumentada da Rússia na região”.

    Em julho deste ano, Ashton Carter, o chefe do Pentágono, anunciou que os EUA deveriam ampliar o programa de treinamento de seus militares no estrangeiro, aumentando também o financiamento do setor cibernético para “restringir os futuros passos da Rússia”.

    Também em julho, o primeiro-ministro da Estônia, Taavi Roivas, propôs incrementar a presença militar dos Estados Unidos no seu país, o que seria “vital para a segurança na região”. A Estônia destina uma parte do seu PIB à manutenção dos soldados estadunidenses.

    O chefe da delegação, John McCain, é conhecido pela sua postura dura em relação à Rússia. Ele defendeu os golpistas da Ucrânia em 2014, acusando a parte russa de interferir nos assuntos internos de outro país, algo que até agora permanece sem provas diretas.

    Mais:

    Estados bálticos promovem sentimento anti-Rússia na Europa, afirma deputada
    Jornalista italiano processará ministério da Estônia
    Estônia concede visto de residência a ex-prisioneiro de Guantánamo
    Estônia quer militares estadunidenses e não refugiados africanos
    Embaixador: presença permanente de soldados americanos na Estônia não faz sentido
    Países bálticos falam em cooperação contra ameaça submarina
    Tags:
    Exército, Taavi Roivas, John McCain, Rússia, Suécia, EUA, Estônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik