13:53 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Um grupo de iemenitas voltam ao seu país do Djibouti, após quatro meses do conflito

    Crianças tomam armas e morrem no Iêmen

    © AFP 2017/ SALEH AL-OBEIDI
    Mundo
    URL curta
    0 59308

    Quem sofre mais com o conflito no Iêmen são as crianças. De acordo com um relatório do UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), pelo menos 400 delas foram mortas e pelo menos 600 ficaram feridas desde o início da campanha militar, que começou em finais de março com a intervenção armada da coalizão liderada pela Arábia Saudita.

    “Cerca de oito crianças são mortas ou lesionadas cada dia no sangrento conflito do Iêmen”, diz o relatório, divulgado pelo site do organismo.

    O documento, intitulado “A Infância Ameaçada”, traz outro número sinistro: 4.300 pessoas, principalmente civis, foram mortas no país nos quatro meses da campanha.

    Um representante da Cruz Vermelha com um grupo de crianças iemenitas evacuadas na cidade portuária de Aden, no sul do país
    © AFP 2017/ SALEH AL-OBEIDI
    Um representante da Cruz Vermelha com um grupo de crianças iemenitas evacuadas na cidade portuária de Aden, no sul do país

    Preocupa também o número das crianças que pegam em armas. Se em 2014, foi registrado um total de 154 combatentes menores de idade, em 2015, esse número já montou a 377, e o ano ainda não terminou.

    De acordo com o UNICEF, as crianças tomam armas porque consideram a luta armada como o único meio de sustentar as suas famílias.

    Já na segunda-feira (17), a Anistia Internacional divulgou o seu próprio relatório sobre o conflito militar no Iêmen. O documento critica “os golpes aéreos ilegais da coalizão em áreas residências densamente povoadas”.

    A tensão política no Iêmen desembocou em um conflito militar após uma ofensiva dos rebeldes houthis (que são considerados partidários do ex-presidente Ali Abdullah Salehi) à capital do país, Sanaa. Ato seguido, o presidente, Abd Rabbo Mansour Hadi, fugiu para a Arábia Saudita, que rapidamente anunciou que iria realizar uma intervenção militar, o que foi feito.

    Mais:

    Embaixada dos Emirados Árabes no Iêmen é ocupada por rebeldes
    Cruz Vermelha: Situação humanitária no Iêmen é catastrófica
    Iêmen: bomba mata ao menos 15 e fere mais de 20
    Forças leais ao ex-presidente do Iêmen rejeitam cessar-fogo
    Iêmen recebe ajuda humanitária enviada pela Rússia
    Iêmen terá pausa humanitária a partir desta sexta-feira
    Ataque aéreo saudita no Iêmen termina com pelo menos 30 mortos
    1.200 presos escapam de prisão no Iêmen enquanto bombardeios sauditas atingem a população
    ONU: há chance de chegar a acordo sobre cessar-fogo no Iêmen em breve
    Negociações de paz no Iêmen fracassaram
    Tags:
    criança, Abd Rabbuh Mansur Hadi, Iêmen, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik