07:36 14 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    O armazém em Tianjin, na China, que explodiu na quarta-feira (12) armazenava 3 mil toneladas de aproximadamente 40 produtos químicos perigosos. A informação foi confirmada nesta terça-feira (18) pelo Ministério de Segurança Pública chinês.

    A quantidade exata de cada substância, porém, ainda não está esclarecida. O subdiretor do Departamento de Bombeiro da pasta, Niu Yueguang, afirmou somente que 800 toneladas seriam de nitrato de amônio, 700 cianeto de sódio e 500 de nitrato de potássio. A grande preocupação agora é quanto às consequências desta tragédia, uma vez que os produtos contaminaram regiões próximas.

    As autoridades locais informaram que especialistas farão a limpeza da área onde o material altamente tóxico chegou. No entanto, segundo elas, ainda não haviam sido detectadas alterações na qualidade do ar, que se mantém dentro dos níveis seguros para a população.

    Uma sequência de explosões no porto de Tianjin provocou a morte de 114 pessoas, 70 estão desaparecidas e outras 700 ficaram feridas. Tremores foram sentidos em um raio de 10 km e uma área de 20 mil km² foi afetada por conta do incêndio. O Tribunal Supremo Chinês abriu investigação sobre a Ruhai International Logistics, proprietária dos contêineres, e executivos da empresa foram detidos nesta terça-feira.

    Tags:
    qualidade do ar, meio ambiente, substâncias tóxicas, incêndio, produtos químicos, armazém, porto, explosão, Tribunal Supremo Chinês, Bombeiro, Ministério de Segurança Pública da China, Ruhai International Logistics, Niu Yueguang, Tianjin, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar