12:32 18 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Castelo Lastochkino Gnezdo (Ninho de Andorinhas) na Crimeia

    Ucranianos continuam escolhendo a Crimeia para passar férias

    © Sputnik / Konstantin Chalabov
    Mundo
    URL curta
    2160

    A mídia da Ucrânia vem relatando que o número de carros do país cruzando a fronteira com a Crimeia é muito grande. Os ucranianos continuam escolhendo a península russa como destino de suas férias.

    No entanto, estas viagens estão causando reação na Ucrânia, especialmente entre os radicais do país. Eles chamaram os turistas de traidores e prometem fazer listas com os nomes deles e os punirem futuramente.

    “Eu falei recentemente com Ilya Kiva (vice-chefe do departamento regional de Kherson das Forças Armadas da Ucrânia). Ele disse que os ucranianos vão para a Crimeia em massa para passar férias. De acordo com as placas dos carro, saem de Donetsk, Lugansk, Kharkov e Kiev”, teria dito o político ucraniano Dmytro Korchynsky, segundo a imprensa do país. Ele se mostrou preocupado com esta tendência e disse que a Ucrânia deve fazer uma lista daqueles que escolherem ir para a península.

    A Crimeia foi sempre considerada um destino perfeito para os turistas. O número de visitantes esperados na península durante a temporada de férias 2015 é de 4,3 milhões de pessoas, o que representa um aumento de 15% a partir de 2014.

    Em março do ano passado, a Crimeia se separou da Ucrânia e se reintegrou à Federação Russa. A secessão aconteceu depois do governo nacionalista chegar ao poder em Kiev através de um golpe ilegal um mês antes, que alienou a maioria dos 2,4 milhões de moradores de língua russa na Criméia.

    A península recusou-se a reconhecer a legitimidade das novas autoridades de Kiev e promoveu um referendo em que 96,7% dos eleitores optaram por se reintegrarem à Rússia.

    Tags:
    viagens, férias, turismo, visita, fronteira, Kharkov, Donetsk, Lugansk, Federação Russa, Rússia, Crimeia, Kiev, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik