05:36 24 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Atirador ucraniano marca posição próximo à região de Donetsk, na Ucrânia

    Soldados ucranianos bêbados atiram contra cidadãos por diversão

    © AP Photo/ Efrem Lukatsky
    Mundo
    URL curta
    515031116

    Um grupo de moradores de Novgorodskoe, na região ucraniana de Donbass, planejava passar um dia de agosto quente na praia fluvial, mas, infelizmente, se tornaram alvo das tropas ucranianas, que estavam atirando contra moradores locais por simples diversão, informou a agência local Novosti-Donbass.

    A agência de informação Regnum citou os moradores locais que descreveram o acidente nas redes sociais:

    "As tropas atacaram a guarda do lago e quebraram as suas costelas. Eles estavam atirando contra as pessoas do outro lado do lago com metralhadoras! Os habitantes com crianças começaram a correr em todas as direções!»

    O comando militar deteve três atiradores, relatou a Regnum. Todos eles estavam bêbados e reconheceram que estavam atirando “por diversão”.

    Felizmente, em resultado do acidente não houve vítimas mortais.

    As autoridades de Dzerzhinsk, a cidade mais próxima da povoação de Novgorodskoe, realizaram uma reunião urgente sobre o tiroteio com o comando militar local. Os membros da missão da OSCE também participaram da reunião, informou a Novosti-Donbass. 

    De acordo com as redes sociais, os habitantes locais estão preocupados com o possível reinício das operações militares na área no próximo fim-de-semana. As autoridades locais recomendam aos cidadãos dos arredores de Dzerzhinsk abandonarem a zona durante alguns dias.

    Este não é o primeiro acidente na região de Donbass envolvendo as tropas ucranianas. Em agosto, 9, um soldado, dirigindo um caminhão, atingiu e matou um menino na aldeia de Georgiyevka.

    Mais:

    Kiev denuncia número recorde de ataques rebeldes em Donbass
    No inverno, ucranianos terão que pagar pelo frio em casas e com tarifas mais caras
    Tags:
    tropas, tiros, OSCE, Donbass, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik