04:15 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    A bandeira nacional da Ucrânia na fronteira russo-ucraniana

    Agravando o conflito, Ucrânia esconde problemas internos

    © AP Photo/ Inna Varenytsia
    Mundo
    URL curta
    52449171

    Para Kiev, que sofre de graves problemas econômicos, a escalada do conflito na Ucrânia é uma forma de dirigir a atenção para o inimigo externo, considera o líder da autoproclamada República Popular de Donetsk.

    O líder do Parlamento da República Popular de Donetsk (RPD), Andrei Purgin, disse aos jornalistas que os protestos em Mariupol contra a desmilitarização de Shirokino são uma tentativa de desviar as atenções:

    “Eles querem muito que os militares lá fiquem, que as ações militares continuem… Trata-se de tentar desviar as atenções, de criar constantemente pretextos informativos, e nada mais.”

    Shirokino se situa na região de Donetsk, próximo da cidade portuária de Mariupol, controlada pelas tropas de Kiev. Shirokino tem sido um dos lugares com combates mais ativos. Segundo os dados de OSCE, 80% das casas estão destruídas, a maioria dos habitantes se foi embora da povoação. Em 1 de Julho, as autoridades da autoproclamada República Popular de Donetsk anunciaram unilateralmente que esta zona seria desmilitarizada.

    As palavras de Andrei Purgin podem ser comprovadas pelo facto de que Kiev está cada vez mais perto da falência econômica, segundo opiniões de especialistas. 

    Jeffrey Albert Tucker, membro da Fundação para a Educação Econômica, opina que a Ucrânia não tem capacidade financeira para cumprir os compromissos da dívida pública e pode entrar em moratória.

    Em setembro Kiev deve pagar 500 milhões de dólares à UE.

    “Não há quaisquer chances de que a Ucrânia pague a dívida e 5% (que os credores estão preparados a perdoar) não resolverão o problema… Os credores vão sofrer grandes perdas… Dentro de seis-doze meses vamos ter mais uma Grécia”, cita Jeffrey Albert Tucker o canal russo RT.

    Segundo o economista, o novo governo ucraniano não fez nada para melhorar a situação econômica. Nas condições atuais, a moratória não é pior do que as medidas de austeridade.

    Além disso, a edição Business Insider chamou a Ucrânia de um dos países com dívida de maior risco, o que foi determinado pelos preços das permutas de direitos creditórios, um instrumento financeiro essencial usado para estabelecer o risco de moratória.

    Em meados de junho, a Ucrânia pediu aos credores um perdão de 40% e aceitou novos eurobonds, ligados ao futuro desempenho econômico e sob um plano de pagamento.

    A dívida pública total da Ucrânia é de 70 bilhões de dólares, dos quais 40 bilhões constituem a dívida internacional.

    A reestruturação da parte da dívida pública ucraniana está prevista no memorando concluído por Kiev e o Fundo Monetário Internacional e é uma das condições-chave para conceder à Ucrânia 17,5 biliões de dólares.

    Mais:

    Kiev denuncia número recorde de ataques rebeldes em Donbass
    Duas atitudes diferentes do FMI frente à Grécia e Ucrânia
    Tags:
    falência, dívida externa, FMI, UE, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik