02:07 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    Por
    Normalização de relações entre Cuba e EUA (67)
    4114
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA inaugurará embaixada em Havana sem reunir-se com as autoridades cubanas.

    Amanhã será um dia histórico. Pela primeira vez em 55 anos, um secretário de Estado dos EUA visitará Cuba, restaurando formalmente as relações diplomáticas e elevando o status da Seção dos Interesses dos EUA em Havana a Embaixada dos EUA em Havana. O que fará é içar a bandeira.

    A história é diplomaticamente complicada. Em meados de julho, foi inaugurada a embaixada cubana em Washington, com pompa, banquete, altos cargos de ambos os países e jornalistas. Naquele mesmo dia, foi formalmente reestabelecida a embaixada estadunidense em Havana. Já o evento de 14 de agosto, que contará com uma delegação de 19 pessoas do lado norte-americano, terá a cerimônia da bandeira, uma reunião formal com o chanceler cubano, Bruno Rodríguez, e um encontro com a oposição cubana.

    “No que toca a Raúl ou Fidel, o Secretário [John Kerry] não tem nenhum plano de encontrar-se com eles durante a sua estadia lá. Atualmente, ele definitivamente não planeja falar com Fidel ou de ver o presidente Castro no momento”, disse um representante do Departamento de Estado.

    Contudo, esta mesma fonte confirmou que Kery “planeja ter uma reunião com o Ministro das Relações Exteriores [Bruno] Rodríguez”.

    Comentando o mesmo assunto em outra entrevista coletiva, o porta-voz oficial do Departamento de Estado, Mark Toner, respondeu assim, de acordo com o site oficial da autoridade:

    “Eu (risos) – nada, mas essa foi boa, de novo. É legal, mas vamos lá, continue”.

    Show de bandeiras
    © Sputnik / Vitaly Podvitsky
    Show de bandeiras

    Em troca, os dissidentes cubanos não estarão presentes na cerimônia solene, o que, em um primeiro momento, já provocou certa irritação nos círculos políticos dos EUA. O pré-candidato à presidência dos EUA Marco Rubio, Republicano de origem cubana, até arremeteu contra as autoridades atuais de Cuba dizendo que os dissidentes, “e não a família Castro, são os representantes legítimos do povo cubano”.

    Porém, os dissidentes cubanos merecerão uma reunião com John Kerry em pessoa, algo que não acontece com o presidente e o líder da revolução cubana.

    A mídia cubana cita Berta Soler, Miriam Leiva, Antonio González-Rodiles, Manuel Cuesta Morúa, Dagoberto Valdés, Elizardo Sánchez e outros entre os convidados para este encontro.

    Por sua parte, Fidel Castro omitiu o assunto da visita de John Kerry no seu artigo publicado nesta quinta (13) pelo jornal Cubadebate.

    Para Vladimir Travkin, editor-chefe da revista Latinskaya Amerika (América Latina), contatado pela Sputnik Brasil, as partes concordaram bem o nível do encontro: tanto Bruno Rodríguez como John Kerry são ministros responsáveis pelos assuntos exteriores. Até aí, tudo bem.

    Travkin frisou que o fato da abertura das embaixadas significa que os EUA reconheceram afinal a sua perda: "Eles têm tentado 50 anos quebrar Cuba, e Cuba não quebrou".

    Porém, o processo da reaproximação será longo e se desenvolverá "a passos curtos", devido ao lobby anticubano que tenta dominar a corrida pré-eleitoral nos EUA.

    As eleições presidenciais nos EUA estão previstas para 8 de novembro de 2016. Barack Obama, que está no seu segundo mandato, á não poderá se candidatar, devido às restrições legais.

    Tema:
    Normalização de relações entre Cuba e EUA (67)

    Mais:

    Fidel Castro diz que EUA devem indenização multimilionária a Cuba
    Hillary Clinton: Congresso dos EUA deve acabar com embargo a Cuba
    EUA retiram Cuba da lista de países que não combatem tráfico humano
    Para cumprir sua promessa com Cuba, Obama deveria mudar legislação
    EUA resistem em devolver Guantánamo a Cuba por temer concessão à Rússia
    Tags:
    reaproximação, Bruno Rodríguez, John Kerry, Raúl Castro, Fidel Castro, Cuba, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar