05:41 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Paulo Nogueira Batista Junior.

    Vice-presidente do Banco dos BRICS anuncia operações de financiamento do NBD

    Reprodução do Facebook
    Mundo
    URL curta
    BRICS: organização do futuro (189)
    1191

    O Novo Banco de Desenvolvimento, o Banco dos BRICS, sediado em Xangai, na China, iniciará suas operações de empréstimos no segundo trimestre de 2016. A informação foi prestada pelo economista Paulo Nogueira Batista Jr., vice-presidente do NBD, em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil.

    Paulo Nogueira Batista Jr., vice-presidente, pelo Brasil, do Novo Banco de Desenvolvimento, revelou que o NBD já está funcionando em sua sede própria em Xangai, na China, de acordo com o documento constitutivo da entidade, firmado em julho de 2014 em Fortaleza, Ceará, durante a 6.ª Conferência de Cúpula do BRICS.

    Segundo o economista, um dos principais objetivos do Novo Banco de Desenvolvimento é conceder financiamentos para projetos de infraestrutura, mas há também outras metas:

    “A ideia é essa, mas também vamos trabalhar com projetos de desenvolvimento sustentável. O Novo Banco de Desenvolvimento terá a sua atuação voltada para os cinco membros do BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – e também financiará países em desenvolvimento da África, Ásia, América Latina e Caribe. O Banco tem, portanto, uma missão muito forte, a de financiar países em desenvolvimento. A missão é forte no sentido de apoiar a consolidação da infraestrutura, financiando a construção de portos, aeroportos, rodovias, projetos ligados à energia, sempre com ênfase na sustentabilidade, a economia verde, a preocupação com o meio ambiente.”

    O primeiro presidente do Novo Banco de Desenvolvimento é o banqueiro e financista indiano Kundapur Vaman Kamath, de acordo com os critérios de rotatividade estabelecidos pelos governantes dos cinco países BRICS. Paulo Nogueira Batista revelou as metas traçadas pelo dirigente máximo da instituição:

    “O Sr. Kundapur Vaman Kamath quer que o Novo Banco de Desenvolvimento seja ágil, moderno, eficiente, e que esteja sempre pronto para aprender com a experiência de quem está passando pelo processo de desenvolvimento. O Sr. Kamath também quer que o NBD pense sempre em inovar. Para isto, está mantendo diálogo constante com os quatro vice-presidentes e também com pessoas de fora da instituição. Por exemplo, o presidente pensa em captar e em emitir títulos em moedas nacionais dos BRICS e de outros países em desenvolvimento, e para isso já determinou a realização de estudos competentes. Então, o Novo Banco de Desenvolvimento vai inovar neste sentido, o de trabalhar com moedas de países emergentes e não só com moedas fortes.”

    Tema:
    BRICS: organização do futuro (189)

    Mais:

    Comércio dos BRICS aumentou 70% desde 2009, diz Zuma
    Medvedev: expansão do BRICS é possível após ajuste de mecanismos
    “Mídia internacional se articula para desacreditar os BRICS”
    Missões do Ministro Mauro Vieira e de Dilma ao Japão afetam relações internas dos BRICS?
    Tags:
    infraestrutura, sustentabilidade, meio ambiente, moeda, cúpula dos BRICS, banco de desenvolvimento, BRICS, Kundapur Vaman Kamath, Paulo Nogueira Batista Jr, Fortaleza, Xangai, África do Sul, Índia, China, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik