06:05 23 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    507
    Nos siga no

    O Banco Europeu para Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) irá fornecer em setembro à Ucrânia um crédito de 300 milhões de dólares para a compra de gás.

    Kiev também está negociando com o Banco Mundial e outras estruturas financeiras sobre novos empréstimos para o mesmo fim. A informação foi divulgada pelo ministro da Energia ucraniano, Vladimir Demchishin.

    "O BERD é um dos atores mais importantes, com quem já existem alguns acordos sobre o montante e a data, há uma possibilidade de que durante setembro possamos receber 300 milhões de dólares", disse Demchishin, em entrevista coletiva.

    O ministro disse que estão sendo realizadas negociações paralelas com o Banco Mundial, que pode emprestar outros 500 milhões de dólares a Kiev, e a Corporação Financeira Internacional (IFC) proporcionaria cerca de 200 ou 250 milhões de dólares para financiar o fornecimento de gás.

    A Corporação Financeira Internacional é uma instituição que pertence ao Banco Mundial e é responsável pela promoção do crescimento econômico nos países em desenvolvimento através do apoio a empresas privadas.

    Recentemente a Ucrânia foi forçada a elevar as tarifas de eletricidade, gás e aquecimento para poder entrar em um programa de empréstimos do Fundo Monetário Internacional (FMI).

    O país atualmente vive à beira da moratória, a moeda nacional perdeu no último ano mais de terço do seu valor. A dívida interna da Ucrânia nos finais do julho de 2015 era 68 milhões de dólares, e externa – cerca de 40 milhões.

     

    Mais:

    Opinião: aproximação da Ucrânia à UE só trouxe problemas
    Parlamento Europeu exorta Rússia a retomar negociações sobre gás com Ucrânia
    Ministro: desconto sobre gás para Ucrânia deve atender aos interesses da Rússia
    Ucrânia deixará de comprar gás russo a partir de 1º de julho
    Tags:
    empréstimo, gás, Banco Mundial, União Europeia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar