02:35 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Amanhecer no Ártico russo

    Ártico é novamente palco de oposição entre Rússia e Dinamarca

    © Sputnik/ Alexander Liskin
    Mundo
    URL curta
    22062121

    A Rússia reivindica uma parte da plataforma continental no Ártico que também poderia pertencer à Dinamarca. Será que a Dinamarca seja pronta para demonstrar o seu potencial militar?

    Johannes Riber Nordby, especialista no Ártico na Academia da defesa dinamarquesa, disse ao jornal dinamarquês Berlingske que tais ações não podem ser consideradas como uma agressão russa:

    “Isto era de esperar. De acordo com o acordo internacional, o pedido deixará a Comissão da ONU para o Assunto dos Limites da Plataforma Continental tomar decisão”.

    Em dezembro, 2014, a Dinamarca reivindicou um território ártico de 895 km quadrados na região ártica, reivindicada também pela Rússia, Canadá e EUA. 

    A Rússia enviou o seu requerimento especial às Nações Unidas em 2001. É de destacar que o país propôs estabelecer os limites externos da plataforma continental russa fora da sua zona econômica exclusiva (ZEE), mas dentro do setor russo do Ártico. A comissão da ONU pediu a informação adicional e documentos que estão apresentados agora. 

    Segundo Nordby, que também é capitão da marinha, a Dinamarca deve estar pronta para defender no sentido político e militar os seus direitos territoriais no Ártico:

    “A Dinamarca deve estar pronta a que a Rússia continue a sua atividade militar nesta região, se a Comissão da ONU aprovar o pedido russo. A Rússia efetuará voos sobre a Groenlândia e aqueles territórios que a Dinamarca poderia reivindicar. Não podemos ignorar isto se a Dinamarca espera obtê-los. Isto é uma tarefa séria para o nosso exército que tem de se adaptar. Para isso, é preciso um tempo”. 

    O ex-chanceler dinamarquês, Uffe Ellemann-Jensen, apela ao governo para se preparar a sério se a Rússia violar o acordo sobre disputas territoriais entre a Rússia, a Dinamarca, a Noruega, o Canadá e os EUA. No seu blog b.dk, ele escreveu:

    “Verdade se diga, se mostrarem um pouco de respeito para com o pedido dinamarquês, o país precisará um pouco mais forças armadas de que uma séria de soldados de partulha Sirius e um par de navios do tipo Knud Rasmussen”.

    Mais:

    Rússia pede na ONU a ampliação de suas fronteiras no Ártico
    Rússia controla águas do Ártico na distância até 500 quilômetros do litoral
    Nova Doutrina Naval russa: toda a atenção no Atlântico e no Ártico
    Tags:
    disputa territorial, ONU, Dinamarca, Ártico, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik