23:30 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    A cidade de Ismailia saúda os ferrys com um Bem-vindo ao Egito no canal de Suez. Foto de 13 de junho de 2015

    Nova via do canal de Suez terá infraestrutura sofisticada e mostra que Egito “pode tudo”

    © AFP 2017/ KHALED DESOUKI
    Mundo
    URL curta
    11179180

    Nesta quinta-feira (6), o Egito inaugura a versão ampliada do canal de Suez. Para políticos locais, o êxito das obras é prova de que o Egito “pode tudo”.

    A cidade egípcia de Ismailia terá desfile naval e aéreo nesta quinta-feira. Representantes de diferentes países, entre eles a Rússia e a França, estarão presentes na cerimônia de inauguração da segunda via do canal de Suez, de 72 km de comprimento.

    A presença do primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, e do presidente francês, François Hollande, já foi confirmada. Também o premiê da Grécia, Alexis Tsipras, o emir do Kuwait, Sabah al-Ahmad al-Jabir al-Sabah, o rei do Bahrein, Hamad bin Isa al-Khalifa, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas e uma série de representantes de outros países árabes.

    O presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, também presenciará o evento.

    A cerimônia da inauguração do novo canal de Suez terá segurança reforçada, com 10 mil policiais.

    Monumento instalado em Ismailia, onde começa a segunda via do canal de Suez
    © AFP 2017/ KHALED DESOUKI
    Monumento instalado em Ismailia, onde começa a segunda via do canal de Suez
    A Sputnik conseguiu falar, antes da inauguração, com o político Hamdeen Sabahi, líder do partido Karama. Sabahi foi o segundo colocado nas eleições presidenciais de 2014. Mas agora, o rancor eleitoral foi superado pelo orgulho da nação egípcia:

    “O novo canal de Suez e o fato de que foi construído em um ano só provam que os egípcios podem fazer tudo”.

    “Hoje, o mundo terá que reconhecer que conseguimos isso, mas não podemos parar agora, temos que continuar para cumprir a principal meta da revolução, como a justiça social e igualdade na terra egípcia. A nova via aquática contribuirá para o desenvolvimento multidimensional da área e do Egito no geral”, frisou Sabahi.

    Já de acordo com Mohab Mamish, diretor da empresa gestora do projeto, o canal já atrai investidores.

    A segunda via do canal permite reduzir o tempo de passagem de navios de 18 horas para 10. A profundidade aumentada do canal facilita também a passagem de navios grandes. Graças a tudo isso, 98 navios poderão passar pelo canal cada dia, em vez de 47 atuais.

    As obras do projeto começaram em 5 de agosto de 2014, ou seja, a construção durou 12 meses exatos.

    Mamish explica que, em 2023, o ingresso que o canal dará ao Egito crescerá dos 5,3 bilhões de dólares atuais para 13,2 bilhões de dólares.

    As autoridades do Egito planejam também construir seis túneis debaixo do canal e criar uma zona industrial situada às suas beiras.

    O canal de Suez foi inaugurado pela primeira vez em 1869, na época do governo de Said Pasha, unindo os mares Vermelho e Mediterrâneo e fazendo, consequentemente, o Egito um ponto importantíssimo do comércio mundial.

    Tags:
    Abdel Fattah al-Sisi, François Hollande, Dmitry Medvedev, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik