01:42 19 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    O primeiro-ministro malaio, Najib Razak, em coletiva de imprensa sobre os destroços do MH370, em Kuala Lumpur, nesta quarta-feira (quinta-feira na Malásia), 5

    Malásia confirma que destroços encontrados são do voo MH370

    © AP Photo/ Vincent Thian
    Mundo
    URL curta
    0 16501

    O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anunciou nesta quarta-feira que a peça encontrada na última semana no Oceano Índico, perto da Ilha de Reunião, pertencia mesmo ao Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu no início do ano passado quando viajava de Kuala Lumpur para Pequim.

    Encontrado mais um destroço do voo MH370
    © AFP 2017/ RICHARD BOUHET
    "Hoje, 515 dias após o desaparecimento do avião, é com o coração pesado que eu anuncio que uma equipe de especialistas internacionais confirmou definitivamente que os destroços de avião encontrados na Ilha de Reunião são provenientes do MH370", declarou Razak em coletiva de imprensa.

    O voo MH370 da Malaysia Airlines que fazia a rota entre as capitais de Malásia e China desapareceu dos radares em 8 de março de 2014, menos de uma hora após a decolagem, com 227 passageiros, principalmente chineses, e 12 membros da tripulação a bordo. O fragmento encontrado no Oceano Índico há alguns dias é uma parte móvel de uma asa que controla o ângulo da aeronave, e estava sendo analisado por especialistas na França desde a última sexta-feira.

    Apesar do pronunciamento do premier malaio, as autoridades francesas se limitaram a dizer que o objeto encontrado "tem muita probabilidade" de pertencer ao Boeing desaparecido, mas evitaram dar um parecer definitivo sobre o caso.

    Mais:

    Malásia confirma que destroço encontrado perto de Madagascar é do Boeing do voo MH370
    Encontrado mais um destroço do voo MH370
    Lenço úmido da Malaysia Airlines é encontrado em praia da Austrália: nova pista do MH370?
    Tags:
    MH370, Boeing 777, Malaysia Airlines, Najib Razak, Reunião, Oceano Índico, Kuala Lumpur, Malásia, Pequim, China, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik