07:10 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Shinzo Abe durante a sessão do parlamento japonês de 28 de julho de 2015

    Vice-presidente dos EUA pede desculpas por "ter causado problemas" ao Japão

    © AFP 2017/ KAZUHIRO NOGI
    Mundo
    URL curta
    61337191

    Em conversa com o vice-presidente dos EUA, Shinzo Abe advertiu que o Japão ficará muito preocupado se os rumores sobre a espionagem norte-americana em relação a Tóquio se confirmarem.

    A conversa telefônica que teve lugar nesta quarta-feira foi dedicada ao escândalo da suposta espionagem norte-americana no Japão. O premiê japonês explicou ao seu interlocutor que a parte japonesa terá "profundas preocupações" se os documentos do WikiLeaks resultarem verídicos e se o fato da espionagem dos EUA for provado.

    Logo depois da conversa, a Casa Branca divulgou um comunicado ressaltando os fortes laços que unem os EUA e o Japão.

    O porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, disse que Joe Biden, vice-presidente estadunidense, apresentou desculpas a Abe por "ter causado problemas". Contudo, o norte-americano não comentou nada sobre as alegadas escutas, que o Wikileaks delatou na sexta-feira passada.

    Já na terça (4), Suga disse que a suposta espionagem, realizada pela Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA, seria um fato "lamentável" se for confirmada.

    Contudo, Shinzo Abe declarou que é preciso primeiro comprovar se tais fatos ocorreram de verdade, antes de reagir a informações não confirmadas oficialmente.

    Comentaristas japoneses consultados pela Sputnik no final da semana passada condenaram a espionagem em relação a um funcionário de tão alto cargo, porém disseram acreditar que não é de esperar que as relações entre os dois países se deteriorem.

    Na sexta-feira (31 de julho) o WikiLeaks divulgou uma série de documentos segundo os quais vários membros do governo japonês teriam sido alvos de espionagem por parte da NSA. O próprio primeiro-ministro, Shinzo Abe, não fazia parte desta lista, que inclui nomes como Yoichi Miyazawa, ministro do Comércio, e Haruhiko Kuroda, governador do Banco do Japão.

    Nestes últimos meses, foram provados os fatos de espionagem em relação aos governos alemão e francês (inclusive a chanceler Angela Merkel e o presidente François Hollande) e ao Brasil (inclusive a presidente Dilma Rousseff e outros membros do governo e entidades econômicas).

    Mais:

    Japão cobra explicações aos EUA sobre espionagem ao governo e empresas do país
    Alemanha investiga jornalistas por publicação de informações sobre espionagem
    Outro escândalo de espionagem: NSA esсutou premiê japonês
    Governo Merkel será processado por conluio com espionagem da NSA
    FBI lança campanha contra espionagem econômica
    Chefe da Flotilha do Pacífico faz voo de espionagem no Mar da China Meridional
    Governo alemão se recusa a comentar novas revelações de espionagem dos EUA
    WikiLeaks: espionagem total da NSA na Europa
    Tags:
    espionagem, Agência Nacional de Segurança (NSA), Shinzo Abe, Joe Biden, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik