04:43 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Sede da Comissão Europeia em Bruxelas

    Comissão Europeia: 600 milhões de euros para França e Grã-Bretanha combaterem imigração

    © Fotobank.ru/Getty Images/
    Mundo
    URL curta
    0 22521

    Nesta terça-feira (4), a Comissão Europeia ofereceu ajuda à França e Grã-Bretanha para solucionar o atual problema com imigrantes que tentam entrar no túnel sob o Canal da Mancha, anunciou o comissário europeu para Migração, Dimitris Avramopoulos.

    Imigrantes ilegais, residentes no departamento Pas-de-Calais (França), estão tentando de modo desesperado cruzar o Canal da Mancha para o território da Grã-Bretanha. Somente na última semana, foram realizadas pelo menos mil tentativas ilegais de atravessar o Eurotúnel. Desde o início de junho, nove imigrantes morreram no processo. 

    “No total, mais de 266 milhões de euros são para França e mais de 370 milhões de euros para Grã-Bretanha, para um período entre 2014 e 2020”, citou as palavras de Avramopoulos a agência France-Presse. 

    Segundo agência, a Comissão Europeia deverá transferir para França a sua primeira parte do pacote, no valor de 20 milhões de euros, nos próximos dias. A Grã-Bretanha já teria recebido 27 milhões de euros de Bruxelas. 

    A Comissão Europeia também ofereceu suporte técnico aos dois países, inclusive no processamento de pedidos de asilo.  

    A cidade francesa de Calais, no presente momento, abriga cerca de 1,5 mil imigrantes. A quantidade de imigrantes aumentou de modo considerável nos últimos tempos. A maior parte deles são refugiados de Eritreia, Sudão e Somália. Quase todos desejam ir para Grã-Bretanha, atraídos por seus programas sociais, possibilidade de asilo na qualidade de refugiados e suporte financeiro.

    Mais:

    França é pressionada por paralisar União Europeia
    Tags:
    refugiados, Eurotúnel, imigração, imigrantes, Comissão Europeia, Dimitris Avramopoulos, Sudão, Somália, Eritreia, Grã-Bretanha, Canal da Mancha, Calais, França, Bruxelas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik