15:47 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Área controlada pelo Estado Islâmico em Kobani, na Síria

    Kremlin: Rússia não enviará soldados para combater o Estado Islâmico na Síria

    © AP Photo/ Jake Simkin
    Mundo
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    151705233

    A Rússia não tem planos de enviar militares para combater o Estado Islâmico na Síria nem irá participar dos ataques aéreos da coalizão contra posições do EI, informou nesta terça-feira o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

    “Essa possibilidade nem está na agenda”, disse Peskov.

    O porta-voz declarou também que o presidente sírio, Bashar Assad, nunca pediu a Presidente Vladimir Putin que enviasse soldados à Síria.

    O anúncio do Kremlin vem um dia depois de o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, afirmar que as declarações dos EUA sobre a assistência aérea à oposição síria são contraproducentes.

    "Parece contraproducente declarar publicamente que algumas unidades americanas que se dirigem ao território sírio sem um acordo com o governo do país estarão protegidas pela aviação da coalizão, e que esta força aérea terá o direito de atacar qualquer força que possa ser considerada um obstáculo para a atividade desse grupo armado", declarou o chanceler.

    Lavrov destacou ainda que até agora a maioria dos combatentes da chamada "oposição moderada" síria, treinados por instrutores americanos nos países vizinhos à Síria, "acabaram se unindo a extremistas". 

    A Síria vive em estado de guerra civil desde 2011, com forças do governo enfrentando vários grupos militantes. De acordo com números da ONU, mais de 220 mil pessoas morreram e 11 milhões foram desalojados em virtude dos confrontos.

    Os Estados Unidos vêm apoiando o que chamam de "oposição moderada", fornecendo ajuda financeira e carregamentos de armas pequenas. Além disso, uma coalizão liderada pelos EUA vem bombardeando posições islâmicas no país desde o ano passado. Não há relatos de confrontos diretos entre forças americanas e o exército da Síria. 

    A Rússia, por sua vez, alerta contra o apoio a forças anti-governamentais, enfatizando a necessidade de dialogar no país.

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)

    Mais:

    Lavrov: ataques aéreos dos EUA na Síria são contraproducentes
    Explosão mortal na Síria foi causada por míssil americano, não por queda de avião
    EUA poderão bombardear tropas governamentais na Síria
    Tags:
    terrorismo, combate, soldados, Estado Islâmico, Kremlin, Dmitry Peskov, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik