17:45 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Federica Mogherini

    Político italiano diz que Roma adotou sanções antirrussas para garantir cargo de Mogherini

    © AFP 2017/ EMMANUEL DUNAND
    Mundo
    URL curta
    Guerra de sanções entre Rússia e Ocidente (179)
    119304

    O político italiano Fabrizio Bertot, do Forza Italia, disse nesta terça-feira em entrevista à Sputnik que o seu país só decidiu adotar as sanções contra a Rússia para que Federica Mogherini pudesse ser escolhida, no ano passado, como a nova Alta Representante da UE para Política Externa e Segurança.

    Bastante criticada por sua postura supostamente amistosa no tratamento com Moscou, a chefe da diplomacia europeia, à época chanceler italiana, dificilmente conseguiria o cargo, segundo Bertot, caso o governo italiano não tomasse essa importante e nociva decisão. 

    "Eles (os governantes da Itália) sabem que as sanções (antirrussas) são contra a nossa economia, porque as exportações italianas para a Rússia são muito importantes. Mas eles adotaram essas sanções porque queriam obter aquela vaga para Mogherini", garantiu o político.

    Federica Mogherini serviu como ministra das Relações Exteriores da Itália até o dia 1 de novembro de 2014, quando assumiu o esperado cargo junto à União Europeia, sob críticas por ter visitado a Rússia e prometido fazer o possível para encontrar uma solução política mutuamente aceitável para a crise ucraniana. 

    Tema:
    Guerra de sanções entre Rússia e Ocidente (179)

    Mais:

    Sanções anti-Rússia aprofundam divisões entre EUA e UE
    Economia da Noruega sofre com as sanções à Rússia
    Chancelaria da Rússia reage à expansão das sanções pelos EUA
    Eurodeputado: é hora de acabar com a irresponsável política antirrussa da UE
    Tags:
    sanções, União Europeia, Fabrizio Bertot, Federica Mogherini, Roma, Moscou, Ucrânia, Europa, Rússia, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik