02:11 18 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Dmitry Medvedev numa reunião do governo

    Moscou considera estender contrassanções a outros países

    © Sputnik/ Eketerina Shtukina
    Mundo
    URL curta
    Guerra de sanções entre Rússia e Ocidente (179)
    0 667181

    Em reunião de gabinete nesta terça-feira (4), o primeiro-ministro russo Dmitry Medvedev exortou o governo a estudar a necessidade de expandir a lista de países sujeitos às contrassanções de Moscou, no contexto das sanções impostas pelo Ocidente à Rússia devido à crise na Ucrânia.

    Segundo o premiê, o Kremlin foi informado de que alguns países que não tinham sido alvo das restrições de importação por parte da Rússia introduziram medidas de retaliação contra Moscou.

    "Se for realmente o caso, é necessário preparar um apelo ao presidente [Vladimir Putin] para complementar o decreto [da lista de países sancionados] com um número adicional de países que apoiam essas decisões [as sanções ocidentais contra a Rússia]", declarou Medvedev.

    O primeiro-ministro disse apenas que se trata de países que anteriormente não apoiavam as sanções ocidentais e que, portanto, não eram abrangidos pela resposta russa.

    "Gostaria de pedir ao Ministério da Agricultura e à administração do governo para esclarecer esta questão e, se necessário, preparar um apelo do governo para mudar esses atos, os quais nós aprovamos anteriormente, bem como propostas de como complementar o decreto do presidente", concluiu.

    Na semana passada, a chefe da diplomacia europeia anunciou que Montenegro, Albânia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Ucrânia apoiavam o prolongamento das sanções econômicas da União Europeia contra a Rússia.

    Tema:
    Guerra de sanções entre Rússia e Ocidente (179)

    Mais:

    Ucrânia e países aspirantes a serem membros da UE aderem às sanções contra Rússia
    Sanções anti-Rússia aprofundam divisões entre EUA e UE
    Economia da Noruega sofre com as sanções à Rússia
    Chancelaria da Rússia reage à expansão das sanções pelos EUA
    Tags:
    guerra de sanções, sanções, Vladimir Putin, Dmitry Medvedev, União Europeia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik