11:54 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Sistema de mísseis Patriot na Turquia

    Político alemão classificou como "absurda" a implementação de mísseis na Turquia

    © AP Photo/ Rainer Jensen
    Mundo
    URL curta
    21957221

    A instalação de mísseis Patriot na Turquia pela Alemanha é um feito absurdo, disse o ex-chefe da esquerda no Parlamento alemão, Dietmar Bartsch.

    "É absurdo (…) A instalação dos mísseis não fazia sentido desde o início", disse o político.

    A Turquia, assinalou, "está bombardeando as posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), os únicos que até agora lutaram de maneira eficaz contra o Estado Islâmico (EI)".

    "E agora os turcos respondem com armas alemães aos ataques curdos", indicou, acrescentando assim que o Ocidente "apoia a ideia de trair os curdos".

    Bartsch criticou a participação de países ocidentais em operações recentes no Oriente Médio.

    A operação no Iraque, disse ele, "não melhorou, mas piorou" a situação.

    "Os talibãs estão perto de retomar a posse do país, como antes de 2002, é uma catástrofe", apontou.

    Bartsch disse que na Líbia "se pode ​​ver o que acontece quando derrubam um ditador e não se tem outras alternativas".

    A situação na Turquia tem se complicado drasticamente nas últimas semanas, especialmente depois do ataque terrorista realizado pelo EI na fronteira com a Síria, bem como por conta de vários assassinatos de policiais nas províncias turcas do sudeste, área reivindicada pelas forças curdas.

    As Forças Armadas turcas realizaram ataques desde a última sexta-feira (31) contra as posições do EI no norte da Síria e às bases do PKK no norte do Iraque.

    Mais:

    Turquia detém mais de mil pessoas em operação antiterrorista
    EUA e Turquia criarão zona livre do Estado Islâmico na fronteira síria
    Turquia está em estado de alerta para risco de atentados terroristas
    Chefe da Sputnik Turquia opina que EI se torna problema interno do país
    Tags:
    sistemas de mísseis, cooperação militar, terrorismo, Talibã, EI, OTAN, Dietmar Bartsch, Oriente Médio, Região Autônoma do Curdistão, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik