02:16 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Caça F-16 da Força Aérea da Turquia decolando da base de Incirlik, operada em parceria com a Força Aérea dos EUA e localizada na província de Adana

    Cerca de 30 caças turcos participam de novos bombardeios contra posições curdas no Iraque

    © REUTERS/ Murad Sezer
    Mundo
    URL curta
    0 426210

    Pelo menos 30 caças F-16 das Forças Armadas da Turquia foram destacados nesta quinta-feira para uma nova série de ataques sobre as posições do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) no norte do Iraque, de acordo com informações de canais de TV locais.

    Esses bombardeios massivos, segundo as autoridades do país, foram lançados em represália a um ataque realizado mais cedo contra um comboio militar turco na província de Sirnak, no sudeste do país, no qual três soldados acabaram mortos. 

    Em nome da luta contra o terrorismo, que inclui ataques também ao Estado Islâmico, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse considerar impossível levar adiante o processo de paz com os curdos, vistos como o alvo principal do governo. Embora tenha decidido adotar recentemente uma política diferente em relação ao EI, depois de ser acusada de conivência com o grupo, a Turquia já contabiliza, desde a última semana, dezenas de bombardeios a posições curdas, e apenas três contra o Estado Islâmico. Além disso, das 1.300 prisões realizadas nos últimos dez dias pelos serviços de segurança da Turquia para deter a ação dos terroristas, quase 850 envolviam suspeitos de ligação com o PKK, enquanto apenas 137 eram acusados de integrar o EI. 

    Mais:

    Turquia disponibiliza suas bases militares aos EUA para combater Estado Islâmico
    Policial e crianças ficam feridos durante protestos na Turquia
    OTAN promete solidariedade com Turquia, mas não fala em ajuda militar contra EI
    Ataques da Turquia contra curdos podem gerar mais instabilidade
    Tags:
    ataques aéreos, bombardeios, terrorismo, F-16, PKK, Estado Islâmico, Recep Tayyip Erdogan, Sirnak, Iraque, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik