04:39 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Ponte sobre o Rio Donets, nos arredores de Stanitsa Luganskaya

    Ucrânia manterá presença militar em área desmilitarizada de Donbass

    © AFP 2017/ JOHN MACDOUGALL
    Mundo
    URL curta
    Ucrânia: campo de batalha (286)
    0 46104

    Os militares ucranianos vão manter sua presença na zona desmilitarizada de Donbass, no leste ucraniano, incluindo na região de Shirokino, mas vão retirar o equipamento pesado. A informação foi divulgada pelo representante oficial do Estado-Maior das operações especiais do Exército, Dmitri Gutsulyak.

    "A desmilitarização da área contará com a remoção de equipamentos pesados, veículos blindados, tanques, morteiros, canhões", disse Gutsulyak.

    No entanto, de acordo com ele, "a presença militar ucraniana continuará em uma faixa de 30 quilômetros, nossos combatentes continuarão plenamente armados com fuzis automáticos e metralhadoras e mantidos em posições fortificadas". 

    As autoridades ucranianas iniciaram em abril de 2014 uma operação militar contra as forças da região de Donbas, que  se opuseram ao golpe de Estado em Kiev em fevereiro do ano passado.

    De acordo com os dados da ONU, o conflito já causou mais de 6.700 mortes e quase 17 mil feridos.

    Atualmente, está em vigor um cessar-fogo na região, negociado por representantes da Rússia, da Ucrânia e da OSCE, adotado em 12 de fevereiro, em Minsk.

    No entanto, ambos os lados do conflito relatam constantes violações da trégua.

    Tema:
    Ucrânia: campo de batalha (286)

    Mais:

    Poroshenko: eleições em Donbass terão consequências desastrosas
    Repúblicas de Donbass convocam OSCE para acompanhar nova retirada de armas
    Putin defende diálogo direto entre Kiev e repúblicas de Donbass
    Donbass pede que BRICS imponha restrições à Ucrânia
    Kremlin acusa Kiev de crimes contra a humanidade em Donbass
    Tags:
    armamentos pesados, militar, ONU, OSCE, Kiev, Donbass, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik