11:09 18 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Kobane

    “Mortos de Suruc são nossos mortos”, diz chefe de região curda arrasada pelo EI

    © AFP 2017/ YASIN AKGUL
    Mundo
    URL curta
    139761

    Líder da região síria advoga a integridade democrática do país e diz que vítimas do atentado de Suruc são mártires de Kobane.

    Em uma entrevista à Sputnik, Enver Muslim, primeiro-ministro do cantão de Kobane, parte da Síria de maioria curda, disse que a região não quer ser um país independente.

    A cidade de Kobane foi destruída pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), reconhecido na Rússia como organização terrorista, estando sua atividade proibida no território do país. O EI proíbe toda tentativa de reconstruí-la, já que se trata de uma cidade “de infiéis”.

    No entanto, houve vários projetos de reconstrução, a última delas, até agora, era a de um grupo de ativistas curdos e pró-curdos da vizinha Turquia. Eles deviam partir a Kobane na segunda-feira passada, a partir da cidade de Suruc, na região fronteiriça de Sanliurfa. Mas, pouco antes da partida, uma explosão matou 32 pessoas e feriu mais de uma centena.

    Um simpatizante do EI provou-se como o autor do massacre.

    Comentando este fato trágico, o chefe de Kobane disse que as vítimas daquele atentado não são só vítimas de Suruc, são também vítimas de Kobane:

    “A juventude veio para construir Kobane de novo. E antes já vinha juventude a Kobane para estar junto da população civil nos tempos difíceis. Eles participaram da defesa da cidade. Por isso, nós consideramos as vítimas de Suruc como vítimas de Kobane <…> Nós nunca esqueceremos aqueles jovens que morreram após a explosão no centro cultural Amara”.

    Além disso, Enver Muslim frisou que a tragédia de Kobane não é uma tragédia só curda: “Em Kobane, morreram jovens curdos, árabes, jovens da Armênia, Irã e Europa. Isso mesmo pode ser dito dos jovens que morreram durante o atentado no centro cultural Amara”.

    O chefe de Kobane notou que “o alvo do EI não foi Kobane, mas sim a vida unida dos povos”. “E é por isso que nós desejamos manter boas relações com todos”, frisou.

    Muslim especificou que a sua região está pronta para ajudar no combate ao EI.

    Também comentou a situação na Síria, dizendo que a guerra não é uma solução viável e que “todas as forças e organizações da Síria devem se sentar à mesa de negociações para regular a crise”.

    Curdos

    Depois do atentado em Suruc, o problema da identidade curda voltou para a agenda turca. Indignados com a suposta inação das autoridades, que não souberam prevenir a explosão, alguns militantes do Partido Trabalhador do Curdistão (PKK) mataram dois policiais. Em entrevista à Sputnik, Enver Muslim condenou tal conduta e disse que os curdos, pelo menos em Kobane, não querem que as relações entre as regiões curdas, a Turquia e a Síria piorem. “Passamos dezenas de anos em crise. E digo, em nome do meu cantão, que os nossos desejos são relações positivas e métodos democráticos”, disse, acrescentando que a “Turquia é nossa vizinha e nós queremos manter boas relações com ela”.

    Enver Muslim declarou também que os curdos de Kobane não querem criar um “Estado curdo”, desmentindo rumores a este respeito.

    Tags:
    independência, terrorismo, Estado Islâmico, Turquia, Curdistão iraquiano, Curdistão sírio, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik