14:57 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Teerã

    Rússia disposta a garantir segurança dos céus iranianos

    © AFP 2017/ ATTA KENARE
    Mundo
    URL curta
    133049471

    Até 2016 a Rússia pode vender sistemas de defesa antimíssil melhores do que os S-300, declarou uma fonte militar à Sputnik.

    As negociações com o Irã sobre o fornecimento de mísseis interceptores mais modernos estão perto da conclusão, declarou à Sputnik neste sábado (25) uma fonte no Ministério da Defesa iraniano.

    Na terça-feira a fonte no ministério declarou que o acordo nuclear recém-assinado entre o sexteto de mediadores internacionais e o Irã abre a possibilidade a Teerã de obter sistemas de defesa antimíssil ainda mais avançados.

    “As negociações estão quase terminadas, o Irã pode receber um sistema mais moderno do que o S-300.”

    Ele também sublinhou que, caso o processo de negociações continue com o mesmo ritmo, as armas seriam fornecidos até o final do ano.

    “Se o Irã receber o sistema S-300 ou qualquer outro sistema moderno será possível dizer que o céu iraniano está protegido contra qualquer ataque aéreo.”

    John Kerry e Benjamin Netanyahu
    © AFP 2017/ GREGORIO BORGIA
    Em 2007, Moscou e Teerã assinaram um contrato de cerca de US$ 800 milhões para o fornecimento de sistemas S-300. Três anos depois, o então presidente russo Dmitry Medvedev cancelou o negócio para não violar as sanções  internacionais contra o Irã. Teerã respondeu com uma ação judicial por incumprimento do contrato.

    Em abril deste ano, o atual presidente russo, Vladimir Putin, assinou um decreto que põe fim à proibição de fornecimento dos sistemas S-300 ao Irã.

    Em junho, o assessor de Putin Vladimir Kozhin informou que Moscou e Teerã estavam preparando um contrato para o fornecimento de sistemas S-300 com características melhoradas.

    Mais:

    Especialista: EUA criam ameaça indireta ao Irã ao boicotarem sistemas S-300
    Teerã comemora acordo nuclear
    Tags:
    Defesa antimíssil (DAM), segurança, S-300, Irã, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik