05:58 22 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados da OTAN

    Político tcheco: ‘OTAN provocou crise ucraniana e prejudica laços na Europa'

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Mundo
    URL curta
    31351281

    Será que o exército serve para os interesses da República Tcheca? Depois de 16 anos a partir da data de entrada dos tchecos na OTAN as forças armadas do país defendem mais os interesses da OTAN do que nacionais. A Organização do Tratado do Atlântico Norte aumenta a sua pressão.

    A República Tcheca não quer continuar se armando e a OTAN não gosta disso. Recentemente o Comandante Supremo do Quartel-General das Potências Aliadas na Europa (SHAPE), Jean-Paul Paloméros, visitou a República Tcheca e imediatamente criticou: de acordo com as ideias dos generais da OTAN, o orçamento de defesa checo é muito pequeno.

    "Vivemos em uma situação muito perigosa e precisamos de um exército forte e confiável", disse o chefe da SHAPE, acrescentando que a segurança não pode ser grátis. Nos últimos anos, a República Tcheca aloca para o exército cerca de um por cento do PIB, embora foi obrigada a alocar dois por cento. 

    O financiamento do "exército confiável" tem apenas um problema, mas é um problema grande. O dinheiro que pede a OTAN será utilizado não para reforçar a segurança dos países membros da OTAN, mas para reforçar a própria organização, que após o fim da Guerra Fria está em constante procura do seu lugar em um mundo multipolar.

    Os chefes da OTAN por muitos anos já visitam os países-membros da aliança e tentam forçá-los a aumentar os gastos para defesa. A República Tcheca não é exceção. Depois que eles provocaram uma crise ucraniana e criaram um clima de tensão e medo, por causa de possível conflito armado na Europa, têm obtido muito sucesso nisso. "Eles prejudicaram muito as relações na União Europeia e desaceleraram o seu desenvolvimento", disse à Sputnik o deputado do Partido Comunista da República Tcheca e o vice-presidente da Comissão para as questões de defesa da Câmara dos Deputados do Parlamento da República Checa, Alexander Cerny.

    De acordo com ele isto é o resultado do desejo dos EUA de passar para outros países, membros da OTAN, a responsabilidade de promoção dos interesses norte-americanos no mundo. "Os americanos querem assim soltar as suas mãos na Europa para ter uma oportunidade de transferir parte de seus recursos para outra parte do mundo, especialmente para a região do Pacífico", diz Alexander Cerny.

    Ao mesmo tempo o político salientou que o aumento dos fundos para o exército nunca foi destinado diretamente para reforçar a defesa. O objetivo foi aumentar a capacidade de se tornar uma força expedicionária que pode ser implantada em qualquer lugar do mundo nos interesses dos Estados Unidos.

    "O Exército Checo pagou por esta política que perdeu uma série de habilidades importantes e necessárias para manter a defesa do país. Nos últimos anos a nossa prioridade era o aumento da capacidade do exército para operar no Afeganistão, e graças a isso a dívida interna do exército ultrapassou os 100 bilhões de coroas (1 euro = cerca de 27 coroas). Isso é duas vezes mais do que o orçamento anual do departamento de defesa. Portanto, a decisão de aumentar os gastos para a defesa é um desejo lógico para fornecer até mesmo as funções básicas do exército. Também é importante de aumentar os gastos nas áreas que fortalecem a capacidade da defesa da República Tcheca. Os fundos devem ser direcionados a onde é necessário para a República Tcheca, e não nos interesses de Washington e Bruxelas", enfatizou o político tcheco. 

    Tags:
    OTAN, EUA, Europa, União Europeia, UE, República Tcheca
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik